Quem é a mulher de hoje?

Quem é a mulher de hoje

Desvendar a mulher contemporânea é tarefa das árduas, mas há sim homens que se dedicam a estudar a alma feminina, para entendê-las melhor. É o caso do psicoterapeuta do Hospital das Clínicas de São Paulo, Luis Cushnir. Ele ministra o curso “A mulher e seu segredos - desvendando o mapa da alma feminina” no “Universo do Conhecimento”, em São Paulo.

“Essa pesquisa em particular é relacionada com a mulher, justamente apresenta aspectos da alma feminina e suas crenças arraigadas no que ela pensa hoje a respeito da sua identidade”, diz o especialista.

Cushnir conta para o Vila Dois quem é a mulher de hoje, seu modo de lidar com o mundo moderno e como os homens a vê. O psicoterapeuta ainda explica os “pontos doloridos” da alma feminina e os ganhos e as perdas das mulheres com a revolução do feminismo. “(A Mulher) tem um lugar conquistado e estabelecido, sendo considerada em todos os âmbitos da sociedade, diferentemente de quando era considerada menos importante, de segunda classe, pouco importante para momentos decisórios”, afirma. Confira abaixo a entrevista na íntegra!

Quem é a mulher de hoje?

Estas crenças de que há um amor perfeito, que as relações devem perdurar para sempre, assim como seus compromissos amorosos, o mito da maternidade sem limites de doação, ainda permeiam a identidade da mulher atual. Mas a mulher hoje consegue questionar isso tudo e busca uma maneira de conciliar o que está arraigado desses conceitos com a vivência de se expandir tanto emocionalmente quanto de seu lugar na sociedade que a solicita outras posturas. Isso vale tanto para os aspectos profissionais como para as suas relações afetivas. Está buscando uma nova construção da relação com o homem e com uma família, que não se confunda com o seu papel de esposa, onde tem um vínculo que deveria ser indissolúvel, mesmo sem se manter o amor.

Como o homem vê a mulher hoje?

O homem ainda a vê esteriotipadamente, com um respeito pela sua capacidade profissional, mas muita insegurança quanto ao seu equilíbrio emocional.

Quais os pontos doloridos da alma feminina?

Os pontos doloridos estão justamente na dificuldade de ser percebida em sua essência, e ao mesmo tempo de poder sentir-se livre para expressar-se a partir dessa. Tem que se conter e mostrar uma mulher mais integrada do que é, pois a sociedade exige dela uma resposta mais objetiva que desconsidera os aspectos relacionados à sua sensibilidade.

Quais as perdas e ganhos na revolução do feminismo?

Perdeu em poder se examinar e expressar suas dúvidas e necessidades afetivas, pois é desvalorizada se expor esse aspecto. Há uma confusão entre o que ela sente com o que ela é e produz. Ganhou um espaço para experimentar e se realizar como um ser humano de primeira classe. Tem uma importância e faz diferença quando se inclui seus atributos de visão, entendimento e desenvolvimento de projetos sociais, profissionais e pessoais, que a realizam como pessoa na sociedade. Tem um lugar conquistado e estabelecido, sendo considerada em todos os âmbitos da sociedade, diferentemente de quando era considerada menos importante, de segunda classe, pouco importante para momentos decisórios.

Leia também:

Mulheres que não querem ter filhos!A Não-revolução anunciada!

Fonte - MBPress

Comente