Quando perdi meu chão.

Tinha tudo para ser um domingo feliz. Enquanto meu marido aprontava a churrasqueira, eu preparava a salada, dalí a pouco nosso amigos chegariam. A demora na entrega da cerveja me fez procurar o telefone para saber se o entregador já estava a caminho.

O celular do meu marido estava próximo, e quando abri para fazer a tal ligação, tinha uma mensagem de texto com as seguintes palavras: "anjinho, só agora pude retornar. qd vc ligou ñ deu p/ falar. tava jantando c/ meu velho. amanha te espero no msn. Te dolo,anjinha".

Deve ser engano, pensei. Alguém certamente digitou o numero errado e caiu no cel do meu marido. Fiz a minha ligação e volto aos afazeres. De repente soou um "clic" em minha mente. " peraí...eu li a palavra retornar?"...Corro até o celular e leio novamente. Sim! estava lá escrito: RETORNAR. Procuro as ligações feitas e para a minha angústia e desespero, lá estava o número discado com a hora e o tempo da ligação: 21:35, 2 mints de conversa, duas horas antes da mensagem recebida. Foi preciso eu me sentar, pra não cair. As lágrimas rolavam pelo meu rosto, uma confusão de pensamentos, sentimento de raiva, humilhação, indignação, revolta...As palavras martelavam na minha cabeça. 'Anjinho?"...anjinho uma ova! Era a própria figura do cão! só faltava os chifres que a idiota aqui nunca quis botar. " Calma, Flavia. Pensa no que voce vai fazer, não se deixe levar pela emoção" A voz da razão, me fez enxugar as lágrimas e tentar raciocinar: " Peço explicações? Não. O safado vai negar, vai tentar me enrolar. Meu Deus! nosso amigos chegaram..." Respiro fundo e vou me juntar ao grupo.

Durante o churrasco, muitas vezes fiquei perdida, os pensamentos longe...agora estáva tudo explicado: A mudança de comportamento dele nos ultimos meses... emagreceu, comprou camisas novas, estava mais sorridente, até mais carinhoso (conciência pesada, lógico!)." Como eu fui burra! Os indícios da traição, as evidências sempre estiveram alí, na minha cara e eu cega pela minha burrice não enxergava." As horas demoravam a passar e a única coisa que eu queria nesse momento era ficar só. Poder chorar, gritar, parar de fingir naturalidade...minha cabeça estourava de dor. Finalmente o pessoal foi embora. Continuei calma, eu ainda não sabia o que fazer.

Veio a noite e eu fui dormir no outro quarto, disse que ainda continuava com dor de cabeça e precisava ficar em silêncio, sem barulho de tv. Foi a noite mais longa da minha vida, pode acreditar. No outro dia, quando o bandido sai para trabalhar, ponho meu plano em prática. Do meu cel ligo pra bandida:

_Alô?

_ Bom dia! Eu sou "fulana de tal" falo da sua operadora e estamos fazendo uma pesquisa com nossos usuários. Se vc me aceitar nossa breve entrevista, como agradecimento pela sua gentileza, enviaremos 500 reais em bônus para vc. Aceita?

_aceito.

_ok, vamos à pesquisa: Seu nome?

_ Ana Aline.

_ Idade

_ 18 anos (!!!!!)

_Profissão?

_Estudante.

Não consegui completar a "pesquisa", desliguei o celular. Eu não podia acreditar. "18 anos! idade pra ser a filha mais nova dele...o nome...Ana Aline! Com esse nome certamente seria linda! Uma piranha querendo se dar bem com um corôa... o alvo predileto da pistoleira..na mensagem dizia que estava jantando com 'meu velho'.

"Ah, bandida...vc vai ver! Antes de mandar o canalha embora vou lhe dar uma lição".

_ Alô?

_ escuta aqui sua putinha sem vergonha, eu já sei de tudo. Vc tem caso com meu marido!!! E não desligue senão vou agora mesmo na sua casa quebrar todos o dentes dessa sua boca imunda. Vc vai ter que ouvir o que eu tenho a falar.

_ Alô! quem tá falando??

_ Claro que vc não sabe..deve ser puta de um monte de homens casados...eu sou a esposa do .... e vi a mensagem que vc deixou no celular dele no sabado à noite.

Agora quero que voce me conte tuuuudo. Senão vou arrebentar a tua cara. Entendeu?

_ É o quê??? Olha, a senhora deve tá enganada...aaaaahhhh! A senhora é a mãe do Alvinho?

_ ...sou ..por que?

_Ô senhora, já sei o que aconteceu ...me desculpe...é que seu filho me ligou do celular do pai dele, ele me disse qd ligou e eu não pude falar direito por tava jantando com meu pai. ficou tarde pra retornar a ligação então eu mandei uma mensagem, achando que ele ainda tava com o celular do seu marido.

"Meu Deus! que vergooooonha... Tudo que eu queria era um buraco pra enterrar a cabeça, ser abduzida por um ser de outro planeta, me esconder até passar a vergonha...Que ridícula a minha situação, tantas lágrimas derramadas , tanto sofrimento ...e chorei novamente, mas desta foi de alívio.

Pedi mil desculpas pelas ofensas, convidei a moça para qualquer hora aparecer na minha casa, prometi um bolo de chocolate e elogiei o seu lindo nome. Também pedi segredo pelo mico (Imagina, se o meu "anjinho" sabe dessa história, usaria como argumento pelo resto da vida rsrs)...Ela deu uma risada gostosa e disse: "Se preocupa não senhora, se fosse eu, ou minha mãe teria feito até pior. "

Aprendi uma lição: Nunca tirar conclusões precipitadas, mesmo com todas as evidências, sempre procurar saber mais, apurar os fatos. O que nos parece óbvio pode ser apenas fruto da nossa imaginação.

Comente