Quando nos esquecemos do outro

Quando nos esquecemos do outro

Foto: © Matthieu SpohnPhotoAlto/Corbis

Todos nós conhecemos pelo menos uma história triste sobre a distância que se instala entre quem vive junto, na mesma casa e/ou dorme na mesma cama. São pessoas que assistem e vivem a morte lenta de seus relacionamentos. A gente se esquece que o tempo corre, e tudo precisa de atenção, inclusive o outro. Mas o dia é corrido e a semana passa depressa e tem tanta coisa para fazer, não é mesmo?

E então, a gente se esquece do outro, de dar um beijo de boa noite, um abraço longo, e reparar de que lado o cabelo da pessoa recai, e não sobra ânimo para conversar sobre o dia, o que foi legal e o que não foi tão bom, sobre a vida, sobre o casal e sobre cada um, e também, sobre o vazio que ficou. A gente se pergunta onde se perdeu e não sabe mais responder.

Embora todas as tarefas do dia estejam completadas, algo está fora da ordem. Pois então, vamos mudar isso já, vamos recuperar o amor, o prazer, a vontade de estar junto, rir, e compartilhar a vida. Momentos complicados são passageiros, mas quem é que vai dizer que existe razão para desistir, a primeira pergunta é - existe amor? Se a resposta for sim, chegue mais cedo em casa e não ligue a televisão, desligue o celular e gaste seu tempo com esse alguém, essa pessoa que está bem ao seu lado.

Em tempo de tantos amores fugazes, e corridos, tudo o que a vida nos pede é um pouco mais calma. Lembre-se disso.


Por Giseli Miliozi

Comente