Quando é hora de desistir do relacionamento?

Quando é hora de desistir do relacionamento

Pergunte às suas amigas. Certamente algumas delas vão dizer que está difícil namorar, encontrar alguém especial. Até que de repente aparece uma pessoa na sua vida, como se tivesse caído do céu.

Ela é linda, beija bem, é carinhosa. E você, disposta a chutar sua carência para bem longe, entra de cabeça e faz de tudo para que este relacionamento dê frutos, lhe faça feliz. Mas com o passar dos dias, só você liga, só você se preocupa, só você corre atrás.

A frustração chega e a depressão também. E agora: é hora de pressionar o moço ou desistir de vez? "Creio que esta é, sem dúvida, a hora de olhar para nós mesmos e nos respeitarmos, nos valorizarmos e nos amarmos. Se não fizermos isso, a outra pessoa também não fará", afirma Rosana Braga, especialistas em relacionamentos interpessoais, jornalista e escritora.

Quando somente uma das partes quer levar o relacionamento a sério, Rosana lamenta, mas diz que o jeito é colocar um ponto final. "Se insistirmos na relação, a tendência é nos envolvermos mais e mais, dando margem às decorrentes decepções e frustrações", afirma a especialista. "Pode ser que um dia essa pessoa retorne, pronta para levar este relacionamento a sério", acrescenta.

Dar um basta é sempre muito difícil, porque sempre acreditamos que nossos esforços serão reconhecidos, que a pessoa vai acabar cedendo e perceber como é bom estar ao nosso lado. Mas nem sempre é assim. "Há pessoas que nunca mudam, principalmente porque não estão dispostas a isso. Agora quem quer, se deixa transformar, deixa o sentimento entrar", diz Rosana.


Outra atitude que muitas mulheres tomam é deixar a decisão nas mãos do outro. Esta até pode ser uma forma de "dar um tempo para si mesma", fazer uma autoavaloiação e analisar a intensidade dos sentimentos. Só que mais cedo ou mais tarde, a vida vai exigir que você tome uma iniciativa. "Duas pessoas não podem ficar juntas quando uma delas não quer, ou ainda, quando os desejos não estão no mesmo patamar. Mas a decisão de parar ou continuar depende só de você e do seu coração", afirma Rosana.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente