Professor é preso após ameaçar ex-namorada de publicar vídeos íntimos

ameaça sexual internet

Foto - Shutterstock

No último sábado (25), Euller Alves Barbosa foi preso por extorquir a ex-namorada e ameaçá-la de publicar seus vídeos íntimos na internet. O caso foi resolvido pela Delegacia de Crimes Cibernéticos.

Durante as conversas que tinham pelo Skype com vídeo, o professor de jiu-jitsu e a até então namorada praticavam sexo virtual. Sem que a mulher soubesse, ele utilizou programas para gravar os atos. Logo em seguida, Euller passou a controlar a vítima, dizendo o que ela podia ou não fazer, inclusive a impedindo de terminar o relacionamento com ele.

Segundo a Polícia Civil, o rapaz residia em Brasília e chegou a exigir R$ 314 da vítima para comprar uma passagem de ônibus para o Recife, onde ficaria hospedado na casa dela, contra sua vontade.

Assim que desembarcou no Terminal Integrado de Passageiros (TIP), o professor foi preso a mando do delegado Germano Cunha. No celular de Euller havia fotografias e vídeos íntimos da vítima.

Devido ao crime, ele deve pegar pena de 4 a 10 anos de reclusão.

O psicoterapeuta clínico Elídio Almeida faz um alerta: "A maioria das pessoas que se envolve em situações desse tipo não pensa nas consequências dos seus comportamentos".

Para o especialista, os homens que fazem filmagens como essas geralmente querem mostrar ao mundo sua virilidade, poder e desempenho sexual, ainda que isso seja feito à custa da exposição de sua parceira.

E finaliza: "Precisamos refletir os comportamentos que nossa cultura reforça. Valorizar um homem que consegue registrar cenas de sexo com uma mulher significa dizer que estamos incentivando o autor a continuar repetindo o ato e outros a seguir o mesmo modelo. Esse tipo de registro, por si só, foge completamente à função do ato e isso já deveria sinalizar às pessoas envolvidas que, se o ato foge ao esperado, as consequências seguirão a mesma tendência".

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente