Por que sua inteligência diminui quando você se apaixona?

Mulheres apaixonadas e burras

Foto/Divulgação

Quando a mulher se envolve num relacionamento que não dá certo, é muito comum se autoflagelar e dizer: "caramba, como fui burra! Como não percebi que não ia dar em nada? Mas logo levanta a cabeça, sacode a poeira e, dias depois, vai à luta de novo.

Com o intuito de discutir as mais diferentes experiências amorosas, de maneira cômica e ao mesmo tempo delicada, as atrizes Carla Araújo e Lígia Hsu, da Cia Maria Bonita, escreveram a peça "Mulher Burra - Entenda por que sua inteligência diminui quando você se apaixona". O texto tem como base o livro "Mulé é um bicho burro mermo" (editora Matrix), das autoras Danielle Means, Giseli Rodrigues, Lina Vieira e Ana Márcia Cordeiro.

"Emburrecemos por que, uma vez apaixonadas, fazemos e dizemos coisas que talvez jamais faríamos, ou ainda coisas que sempre juramos não fazer em tom até mesmo de crítica", comenta Cláudia. "Esta é a típica mulher que permite se apaixonar com todo coração, sem medo ou ressalvas."

Carla explica que o processo de criação das personagens foi algo bem natural, já que, como ela mesma diz, toda mulher passa por quase tudo o que é descrito na peça. "O que diferencia é a maneira de encarar tudo. Por isso, acabamos criando uma mulher ‘mais decolada e desencanada’, a Renata, uma mais ‘ingênua e aérea’, a Juliana, e outra mais ‘neurótica e exagerada’ a Carolina".

Mulheres apaixonadas e burras

Foto/Divulgação

As três personagens passam pelo processo de emburrecimento. Isso porque elas mostram que não abrem mão de se apaixonar. "Acredito que todas nós, em especial na peça, buscamos mostrar que a mulher deve se respeitar, viver e rir de tudo aquilo que ela acredita que é importante ou que vale a pena para sua vida", ressalta a autora, que completa: "Antes era ‘permitido’, ‘esperado’ que o homem fizesse o que quisesse. Agora temos liberdade até para rir de nós mesmas."

Mas é bom não estereotipar! Carla diz que nem todas as mulheres ficam assim ao sentir o coração bater forte e as pernas tremerem. "Existem mulheres que dão sorte e encontram o que chamamos de ‘homens príncipes’ sem nem sequer emburrecer", lembra.

O espetáculo deseja provar que o importante para essas mulheres é a jornada em busca do homem ideal. Portanto, vale a pena se apaixonar, mesmo que seja para "emburrecer". "Nunca saberemos se o final vai ou não ser feliz se não vivermos essa experiência. Tudo na vida só faz sentido assim.

Como prever? Além do mais, em algum momento seremos felizes... Ainda que seja no começo, no meio ou no fim", finaliza Carla.


Serviço:

Mulher Burra - Entenda por que sua inteligência diminui quando você se apaixona

Texto: Carla Araujo e Lígia Hsu

Direção: Karina Barum

Com Carla Araujo, Daniela Dams e Lígia Hsu

Teatro Santo Agostinho, próximo. Metrô Vergueiro, em São Paulo

Apresentações todos os sábados às 18h (a partir de 06/08)

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente