Olhar para o lado esquenta a relação?

Olhar para o lado esquenta a relação

Foto: Klaus Tiedge/Corbis

Quando o namoro está começando a engatar ficamos e roendo as unhas esperando o cara ligar. Aquele frio na barriga nos consome noite e dia e tira a nossa concentração. Quando a vida a dois está mais consolidada, a gente sabe que o outro vai ligar e a ansiedade passa. O jeito como ele mexe no cabelo, sorri ou fala certas palavras, características que lá atrás tiravam o nosso fôlego, se tornam algo corriqueiro.

Mas essa calmaria pode ficar ameaçada se por acaso uma terceira pessoa começar a observar demais o nosso parceiro. A reação mais esperada seria uma cena de ciúmes, até um barraco. Só que é possível olhar a situação por outro ângulo: essa cobiçada pode nos ajudar a retomar aquele frio na barriga do começo do namoro, nos motivar a olhar outra vez para o parceiro, buscando os atrativos que nos motivaram a apostar na relação.

A terapeuta comportamental Ramy Arany pensa que essa ação, gerada por meio de um conflito, pode sim propor o aquecimento da vida a dois. Para ela, uma mulher que se encontra numa relação mais distante ou até mesmo mais fria, quando percebe que outra mulher olha para seu homem com um olhar de desejo ou interesse, passa a sentir novamente sentimentos e sensações pelo companheiro que se encontravam adormecidos.

"Esta reação pode ser considerada como instintiva, pois é parte das emoções mais básicas de preservação do que consideramos importantes para nós. É como se o cérebro recebesse uma mensagem mais ou menos assim: ‘tome cuidado, estão de olho no que é seu!’. Isso provoca uma reação de proteção e de posse, despertando memórias boas e fortes que marcaram a relação", explica.

Porém, de nada adianta esse reavivamento se não houver reciprocidade por parte do parceiro. Sem ela, conforme conta Ramy, este conflito vai gerar mais conflito e desencadear uma sucessão de situações de cobranças, apegos e de ciúmes, culminando até mesmo numa separação.

Esse tipo de reação não depende do tempo de relacionamento, mas da personalidade de seus membros. "Os casais mais velhos são os que melhor lidam com a situação para não gerar ciúmes, mas quem melhor aproveita esta situação são os mais jovens, que se encontram com ‘gás’ para aquecer a relação através do conflito", pensa.

A terapeuta também não acredita que situações como essas são suficientes para salvar um casamento, pois sem uma transformação efetiva este aquecimento gerado por terceiros irá durar pouco. "Uma pequena dose de ciúmes é válida para acordarmos sentimentos e comportamentos, mas penso que o caminho para o aquecimento da relação não é necessariamente o caminho do conflito, mas sim, da harmonia, da transparência, do amor maduro."


O relacionamento amoroso é um dos maiores desafios tanto para as mulheres quanto para os homens. E cada casal precisa encontrar seu modo de transformar a história a dois. "Alguns têm condições de resolver seus conflitos sem a ajuda de terceiros. Mas, às vezes é necessário recorrer à ajuda de um terapeuta a partir do momento em que as partes por si só não conseguem se compreender e transformar o conflito em impulso para uma nova relação", finaliza Ramy.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente