O que parece perfeito nem sempre é o melhor

perfeito nem sempre é o melhor

A busca da perfeição pode fazer o amor perder seu brilho próprio. Cuidado! Foto/© pinkypills/Corbis

Entenda uma coisa: nunca estamos totalmente prontos para o amor. Talvez essa seja a parte mais interessante, uma vez que nunca temos ou teremos total controle sobre nada, nem mesmo sobre nossa própria vida. Muitas vezes, o que queremos não é o melhor para nós.

Essas afirmações podem parecer apenas um amontoado de clichês para você. Mas fazem todo o sentido. Esse post em forma de chamado não é para te deixar ansiosa ou nervosa, ele quer dizer apenas para você não perder mais tempo criando castelos na sua mente. Construa-os logo, mesmo que em terrenos não tão firmes.

Nosso assunto aqui é o amor, e nesse assunto esperar nem sempre é saber. A ordem do dia e da vida é arriscar. O motivo é simples. Não tem outro jeito de ser feliz, ou não. É se experimentando.

Mas como ter coragem de se declarar, como saber se aquele cara que você gosta há tanto tempo não vai apenas sorrir e acenar uma noite para você e no dia seguinte, sumir sem deixar rastro. Não dá para saber. O que se sabe depois de décadas e centenas de pesquisas e experimentos é que com certa dose de humor, amor e vontade, as coisas ficam perfeitas, ou quase. A mesma coisa que a sua avó fazia. É, pois é, dá certo.

A gente vê isso em filmes, a gente passa por isso, a gente quebra a cara e continua... então, repense o ideal que você anda procurando/esperando do amor. Se for aquele pouco que faltava para ser perfeito, esqueça, o faça ficar bonito e agradável do seu jeito. Apostamos com você que será muito divertido e emocionante.


Por Giseli Miliozi

Comente

Assuntos relacionados: relacionamento risco amor perfeição