O que aprender com as piriguetes?

O que aprender com as piriguetes

Foto: João Miguel Júnior/Divulgação TV Globo

Com suas roupas justas e super curtas elas exalam charme e poder. O cabelão até a cintura e o decote arrojado completam o estilo sensual das piriguetes. Mas não adianta ter o estilo se você não tem o "jeitinho piriguete de ser", não é mesmo?

Você sabe do que estamos falando? Basta acompanhar Suelen (Isis Valverde) na novela "Avenida Brasil" que você terá uma aula completa sobre o assunto! A morena sai de casa com top, legging e tamanco e mexe com o coração e os hormônios dos rapazes. O segredo? Parece que um "elemento X" está nos genes desta mulherada.

Não tem como negar que elas são confiantes, fazem o que "dá na telha" e são objetivas, assim como não falta sedução e o desejo de querer aparecer de todas as formas (seja por meio das roupas ou do jeito de falar, por exemplo) e não pensar nas conseqüências.

Como o psicólogo Eduardo Coutinho Lopes, da Clínica BeSlim, explicou: "É comum as pessoas se espelharem no que veem. Neste caso, geralmente, acreditam que estas mulheres são felizes e conseguem mais fácil o que querem com essa forma de agir".

Interessante, não? Pode-se dizer que as piriguetes, às vezes, deixam a impressão de que conquistam qualquer coisa. Porém, o especialista ressalta: "É preciso ter cuidado para não seguir perfis que possam denegrir a sua imagem".

Diante de tudo isso, afinal, o que é que podemos aprender com as piriguetes? Será que todas as influências deste modo de vida são saudáveis?

Para Daniel Alves, assistente de redação, a objetividade é essencial. "Não é que porque a piriguete é mais fácil de levar para a cama que o homem prefere. Mas sim a parte de não precisar pagar drinks, conversar e ‘blá blá blá’. Se a mulher se interessar, é melhor deixar bem claro e já era. Não tem carência ou necessidade do ego massageado".

Tiago Perrart, assistente de planejamento, é quase da mesma opinião: "Acho que uma das coisas, talvez a única, que as mulheres podem se espelhar é na parte de não fazer doce, de ser mais direta na hora de conquistar um homem".

E continua: "E outra, se um cara pode sair e ‘pegar’ todas em uma noite e isso é aceitável socialmente, uma mulher pode fazer o mesmo. Está todo mundo aí para se divertir, vamos deixar algumas amarras da sociedade para lá e se curtir, não é mesmo? A piriguete, de modo geral, está pouco ligando se vão chamá-la de vagabunda. Que as pessoas vão comentar, vão. A questão é se ela liga ou não pra isso".

Anotou?

Ao que parece, os homens não colocam em primeiro lugar o modo de a mulher se vestir ou ser vulgar. E sim apelam para que as elas tenham mais objetividade e confiança, ou seja, personalidade própria.

"A mulher tem que ter autenticidade e não buscar se sentir melhor por causa de homem. A piriguete talvez tenha mais facilidade em ficar feliz do que uma menina mais recatada", diz Daniel.

Ser original é a atitude da vez. E isso não significar ser "safada", viu? O psicólogo analisa: "A vulgaridade das piriguetes não pode ser aproveitadas de nenhuma forma, pois vai apenas incentivar comportamentos inadequados socialmente. Porém, autoconfiança é uma virtude positiva, um trampolim para um possível sucesso".

Tiago ainda enfatiza: "As mulheres deviam deixar de ligar para algumas coisas, como preconceitos sociais, caso atrapalhem a vida delas na hora de se divertir. É clichê, mas tudo bem. Na hora de ser feliz, vá e não ligue para o que os outros vão pensar".


Eduardo Coutinho nos lembra: "Mulheres reservadas também chamam atenção, pois são misteriosas e aguçam a curiosidade do homem sobre o que pensam e o que desejam".

Sendo assim, parece que ser você mesma é o equilíbrio. Fazer o tal do "doce" ou agir pensando no que os outros vão dizer está totalmente fora de moda. Então, vista a sua própria camisa!

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente