Mulheres interesseiras

Fala-se muito que nós mulheres somos oportunistas e interesseiras. Dizem que todas nós visamos primeiramente o dinheiro que eles têm. Existe até um ditado popular que diz que quem gosta de homem é bicha, mulher gosta mesmo é de dinheiro.

Em parte eu concordo, infelismente conheço poucas mulheres que não são interesseiras, a grande maioria leva em consideração a conta bancária do pretendente. O difícil é achar quem admita isso.

O fato é que isso não é nenhuma novidade, na própria Bíblia ou nos livros antigos existe relatos de casamentos arranjados, amores desfeitos, relacionamentos infelizes e lares destruídos por conta do interesse. O que mudou foi à forma como hoje isso é encarado.

O que me incomoda é essa má fama que só nós mulheres carregamos, me irrita a hipocrisia dos homens que dizem que nós gostamos mesmo é de dinheiro. E eles também não são interesseiros? Será que eles não estão se vendendo quando puxam o saco do chefe, ou ficam amigos do cara que anda de carrão? E os que traem seus princípios para obter vantagens sobre alguma coisa, não seria uma forma de prostituição? Será que eles se aproximam de nós pelos nossos valores morais?

Ah, mas vocês são muito mais interesseiras, assim eles dizem. Só que esquecem de que o culpado disso tudo são eles mesmo. Quem nunca viu um ‘tio’ passando com seu carro importado tendo como companhia uma ninfeta?

Alimentam o ego desfilando com menininhas saradas como se quisessem exibir o valor da conta bancaria, mostrando aos amigos que é o fodão, que ainda pode conquistar uma gata e depois que levam o golpe ficam chorando pelos cantos e ainda sentam o pau em todas as mulheres que vêem pela frente. Ora, tão reclamando de quê se foram tão oportunistas quanto as mulheres que eles se envolveram. Já que estão comprando, então paguem o preço sem reclamar. Foi caro? Ótimo! É pra aprender, se custar barato vão quebrar a cara de novo.

Interesse todo mundo tem, seja homem ou mulher porque somos seres humanos com virtudes e qualidades. Mas não queiram que só nós mulheres paguemos a conta pelos pecados do mundo.

Quando eu casei foi por amor e uma cabana, havia dias em que tínhamos que optar entre o almoço ou o jantar. E posso garantir que nunca achei bonito não ter o que comer, não vi nada de romântico jantar as luz de velas devido o corte no fornecimento de energia, garanto também que não dá tesão nenhum dormir com os pés moídos de tanto andar a pé. Eu e meu marido sofremos o pão que o diabo amassou, a falta de grana por muitas vezes foi motivo de brigas e a nossa relação passou por muitas crises. Também contribui bastante para rachar o pilar que sustenta qualquer relação: o respeito. Muitos casamentos acabam por falta de dinheiro, só o amor não sustenta relação nenhuma.

Eu não sei se faria tudo de novo, penso que não. Se eu fosse solteira, fugiria correndo de homem pobre igual ao diabo da cruz, mas primeiramente eu precisaria ter o controle do meu coração, o que até hoje eu não consegui.

Penso que continuo sendo a mesma mulher interesseira de quando eu casei: interesse por carinho, por cumplicidade, por paixão, interesse por respeito e principalmente interesse por amor. No entanto, se tudo isso fosse em uma casa ampla e confortável, com um carro bacana na garagem e uma conta bancária respeitável, ai sim, seria um casamento perfeito!

(Dedico esse post a um amigo especial)

Comente