Mulher instala relógio de ponto para controlar horários do marido

O relógio de ponto veio acompanhado por uma série de regras e punições para o atraso!
relógio de ponto marido

Foto: iStock-Massonstock

Tem muita mulher por aí que morre de ciúmes quando o namorado/marido chega tarde em casa, algumas vezes com motivo, outras vezes não. O fato é que as vezes algumas desculpazinhas corriqueiras são dadas à parceira, que geralmente desconfia da fidelidade do amado. Para acabar com este problema de uma vez por todas, uma mulher chinesa resolveu instalar o equipamento na própria casa, para monitorar os horários de entrada e saída do marido! Dá para acreditar?


 

A foto de um leitor digital de ponto foi publicada na rede social Weibo, bastante popular na China, por Emma Yi. A mulher, que aparentemente tem um comportamento típico de alguém que cultiva um relacionamento abusivo, disse ter visto o aparelho na casa de uma amiga, cujo marido trabalha em uma empresa de tecnologia e sempre chegava tarde em casa. Disposta a mudar essa rotina, a mulher estipulou regras e colocou o relógio de ponto para controlar a movimentação do parceiro.

relógio de ponto marido

Foto de relógio de ponto com as regras de horário viralizaram em rede social chinesa. Foto: Reprodução/Weibo

O papel ao lado do dispositivo dita as regras: se o marido chegar antes das 21h em casa, ele ganha um jantar quentinho na companhia da esposa; porém, se ele atrasa, as penalidades variam de acordo com o tempo transcorrido. Por exemplo, se o atraso for de até 30 minutos, o rapaz tem que pagar uma multa equivalente a R$ 45; agora, se o atraso for ainda maior, o maridão precisará disponibilizar um dia inteiro para trabalhos domésticos aos finais de semana.

“Se a máquina de ponto pode gerenciar as horas de trabalho do meu marido, também deve funcionar bem por suas horas de não-trabalho”, explicou a esposa. Segundo ela, a gambiarra matrimonial está funcionando perfeitamente, fazendo com que o cara nunca mais chegue tarde em casa. Já imaginou se a moda pega? HAHA você, teria coragem?

Comente