Mimar o namorado, pode?

Mimar o namodado pode

Está certo, você gosta dele e faz questão de mostrar isso, seja através de manifestações de carinho, surpresinhas ou declarações de amor. Mimar também vale. Eles adoram quando prepararmos a prato predileto ou quando deixamos tudo arrumado. Mas há uma linha tênue que separa o zelo de namorada/mulher com o cuidado que só as mamães têm.

Dana el Fareda, 25 anos, professora de danças árabes,é daquelas que é cheia de mimos com o namorado. "Mas algo controlado que não atrapalha o relacionamento", justifica. Durante o dia, ela costuma ligar para ele e pergunta se está se alimentando bem, também o que comeu. "Faço questão de telefonar para dar boa noite e, confesso, trato como criança, que nem bebê. Quando ele fica doente faço um dengo. Todo mês compro um presentinho e sempre quando possível faço as vontades dele", conta. Ele adora, é claro. "Se sente falta, reclama", brinca.

As mulheres que fazem a "linha dura" no relacionamento podem não concordar com as atitudes da professora, mas segundo o psicólogo Sérgio Savian, terapeuta e escritor especializado em relacionamentos, autor do livro "Amor e sedução para a mulher do século XXI", essa atitude se explica pelo fator biológico da mulher. "Elas produzem uma quantidade de oxitocina bem superior a dos homens. É um hormônio, presente em quantidade muito maior durante a gravidez, responsável pelo afeto e pelo cuidado que possamos ter com os outros. Além disso, a mulher é criada desde sua infância para cuidar dos seus irmãos, do pai, etc. Tudo isso junto a coloca neste papel automaticamente, sem questionar se isto é bom ou não para ela própria e para o relacionamento", ressalta o terapeuta.

É o que acontece com Dana e várias namoradas por aí. Ela mesma diz que não só gosta de cuidar dos seus companheiros, mas também de todos que estão a sua volta. "Mimo minhas alunas, amigas, me agrada deixar o dia a dia delas mais feliz. Não faço por obrigação, é algo natural", diz. Conforme o terapeuta, a famosa e ultrapassada "Amélia, que era mulher de verdade", é algo que se estende até hoje em nossa cultura, mesmo que muitas delas ainda assumam o papel de não cuidar tanto dos seus parceiros. "Elas ainda são controladoras, gostam de servir, de dar suporte para seus companheiros", acrescenta.

E isso não importa a idade, pois ele observa muito essa tendência em mulheres mais jovens, não só aquelas que namoram homens mais novos. A dica do especialista é se dar conta desse fato e tomar uma atitude, ou seja, partir para uma mudança de hábito aos poucos, pois homens também não gostam de exageros.

"Quando o namorado ou marido é tratado desta forma, com excesso de zelo, passa a ver sua parceira como mãe e por isso tende a perder a atração física por ela. Além disso tende a se tornar folgado e explorador. Também não é saudável quando a mulher passa a ver seu companheiro como filho", alerta.


Mas quando as manifestações de agrado são de ambas as partes, ou seja, existe um equilíbrio no relacionamento, não há riscos de comprometê-lo, conforme Savian. A professora conta que o namorado também tem atitudes que a deixa feliz. "Ele me leva em lugares que gosto de ir e saborear uma boa comidinha. Quando vamos ao cinema, eu escolho filmes melosos que geralmente homem não gosta de ver...". Afinal, uma boa dose de romantismo e carinho não faz mal a ninguém.

Por Juliana Lopes

Comente

Assuntos relacionados: namoro romantismo relacionamentos amor