A hora certa de amar

A hora certa de amar é hoje. Ou melhor agora!
a hora certa de amar

A hora certa de amar é você quem decide! Foto/© Wavebreak Media LTD/Wavebreak Media Ltd./Corbis

E então? Esse tempo chegou? Passou? Está acontecendo? Isso realmente não importa, o tempo passa diferente para cada uma de nós. Quem é que pode dizer tanto sobre a “hora certa” para o amor acontecer? Ninguém. A hora certa de amar é hoje. É agora.

Passamos nossa vida de olhos e coração abertos, e acaba entrando tanto coisa que não vale a pena, mas o filtro da vida se encarrega de cortar os maus pela raiz e confundindo pedras rolantes com planaltos, paixão com amor e falsidade com honestidade, não é mesmo?

E como saber se essa hora certa vai acontecer com a tal pessoa certa, e ainda, como saber a diferença entre uma paixão e o verdadeiro amor? Se esse dilema for resolvido talvez a vida deixe de ter tanta graça ou a humanidade sofra demais com a verdade. Amar e sofrer faz parte do jogo. Assim como a paixão tira a gente do eixo para depois nos colocar nas águas tranquilas do amor. Ou não.

Diferenciar o amor da paixão pode ajudar nesse processo de entender que chegou a hora certa? Não sabemos, mas quanto mais informações tivermos melhor não?

O Vila Mulher conversou com Dr Fábio Roesler, Psicólogo e Neuropsicólogo com especialização em Neurofeedback pela INBIO (Instituto Nacional de Biofeedback) e coautor do livro “Personagens ou Pacientes?”, da Editora ARTMED e eis o que ele contou para a gente:

“ Para a paixão se transformar em amor, primeiramente, ocorre uma quebra da fantasia criada em relação ao parceiro, que deixa de ser uma projeção e passa, lentamente, a ser visto como ele é. Neste processo há, naturalmente, uma perda afetiva imaginária, já que o ideal de perfeição primário dá lugar ao que é real. Assim que houver a aceitação desse processo e o surgimento de uma nova forma de identificação, o amor passa a existir”.

Segundo pesquisas, a paixão duraria em torno de seis meses, e depois outros sentimentos surgem, entre eles o amor, que pode durar uma vida inteira. Sabemos também que o amor depende em grande parte de nós mesmos, e da dedicação e atenção que damos a ele. 

Eu acredito muito no que o Dr. Fábio disse, o amor é muito mais uma decisão nossa do que o resultado de uma paixão. Amar também é querer!

Uma vida pode ser pouco para algumas pessoas que querem passar a vida com a mesma pessoa, e para outras uma sucessão de histórias igualmente boas, seja curta ou longa duração, elas existem. Ame ou apaixone-se loucamente, sentir é o que importa!


Comente

Assuntos relacionados: paixão cumplicidade