“Eu já traí!”

“Eu já traí”

Muitas mulheres acreditam que nenhum homem presta e todos são infiéis. Depois de sofrerem décadas com o título de cafajestes, eles disputam com a mulherada no ranking de infidelidades e traições. Uma música da cantora Wanessa Camargo, com o nome de “culpada”, diz que “os homens não são os únicos com amores escondidos, é que as mulheres escondem bem melhor o proibido”. Será verdade?

A bancária Priscila* concorda. Ela namorou por três anos e meio e nesse meio tempo traiu o ex duas vezes. Na primeira, tinha quatro meses de namoro. “Fazia um ou dois meses que eu tinha entrado na faculdade. Foi coisa de momento, impulso, no bar. Todo mundo alcoolizado. Meu namorado ia para Porto Seguro e eu liguei o ‘dane-se’”, conta a bancária. Apesar do descaso no momento, Priscila garante que se arrepende muito.

“Aprendi muita coisa e sofri muito. Graças a Deus, ele nunca descobriu. Sempre me sinto mal por isso. Ficou uma sensação horrível, mesmo depois de um minuto que eu fiz aquilo. Foi muito estranho, eu sabia que ele não merecia aquilo”, garante.

Apesar do arrependimento, a bancária o traiu novamente. “Desta vez, foi quando ele foi para Porto. Mas esse eu não me arrependi não. Me senti aliviada, afinal, eu sei como é Porto e estava muito difícil aceitar aquela situação (da viagem do namorado)”, afirma.

Priscila diz que se descobrisse que foi traída enquanto namorava, pensaria e ouviria a explicação dele, já que ela mesma já tinha feito aquilo. Dependendo das explicações, eu terminaria ou não. Só porque ele me traiu não significa que ele não goste de mim. Eu sei que é meio estranho, mas eu penso assim”, conta a bancária.

Há um mês, o namoro terminou, por outros motivos, mas Priscila acredita que o ex ainda não sabe que já foi traído.

Com Bruna* foi diferente. Quando estava com seis anos de casamento, a dançarina foi flagrada por seu ex-marido com seu amante. Bruna estava em sua casa com o outro, com quem se relacionava havia um ano, pois acreditava que o ex voltaria tarde. “Levei um susto. Ele devia estar desconfiando de algo. Entrou com tudo no apartamento, corri para o banheiro e o Pedro* para o nosso quarto. Meu ex arrombou o banheiro e me puxou com tudo de lá, sem roupa. Bateu no Pedro e colocou ele para fora, mas em mim não colocou a mão”, conta.

O bate-boca foi feio e os vizinhos precisaram interferir. “Meu vizinho teve que segurar ele, porque estava descontrolado. Com mais calma, outro dia, conversamos e optamos pelo divórcio”, diz a dançarina.

Atualmente, Bruna mora em outro país e se casou novamente. Os filhos, que na época do flagra tinham apenas quatro e seis anos, hoje sabem da história. “Meu ex é uma ótima pessoa, um ótimo pai, mas foi um péssimo marido. Não me dava o carinho que eu precisava, não colocava nada em casa, estava cansada daquela situação. Não me arrependo do que aconteceu, talvez pudesse ter sido de outra forma. Mas tinha que ser assim”, garante Bruna.

Apesar de já ter traído uma vez, Bruna garante que não pularia a cerca em seu atual casamento. “Ele não merece. Me trata bem, é um ótimo marido. Não é porque fiz isso uma vez que faria de novo”, afirma.

Leia também - Traição tem perdão?

Fonte - MBPress

Comente

Assuntos relacionados: relacionamento traição namoro culpa amante