Etiqueta na festa de Natal

Etiqueta na festa de Natal

Recém-casada, a farmacêutica Fátima Monteiro, 30 anos, estava acostumada a jantar na casa da própria família e do seu atual marido na noite de Natal. Só que este ano, ela vai passar a véspera em sua casa. Já Carolina Ferreira, 28 anos, assessora de imprensa, vai conhecer a família do seu atual namorado justamente na noite de Natal, o contrário também acontecerá, para a ansiedade do casal.

"Sempre é boa hora para apresentar o namorado. Se você escolheu esta data onde provavelmente a família está reunida, fique tranquila. Só não o deixe num canto sozinho, afinal ele não conhece ninguém", aconselha a consultora de etiqueta Sofia Rossi.

As duas situações requerem um pouco de bom senso e tato para não cometer as famosas gafes de fim de ano. Carolina está em dúvida do que comprar para a sua sogra, algo simples que não pareça bajulação, afinal, a primeira impressão é a que fica. "A família dele é muito grande, será que eu tenho que levar presente para todo mundo?", questiona.

Conforme Sofia, sempre é importante perguntar a idade das crianças participantes e levar ao menos uma lembrancinha. "Mas se não houver criança, leve um presente apenas para o anfitrião ou anfitriã. E um presente 'neutro' (garrafa de vinho, por exemplo) para cada família que estará no jantar. O nosso bom amigo secreto é a melhor saída para comemorações com muitos participantes, pois ficamos livres de comprar presentes a mais ou a menos".

Como a relação entre Fátima e sua sogra já é mais próxima comparada a de Carolina, a consultora sugere que a farmacêutica se ofereça para ajudar na produção da ceia. "É delicado telefonar antes para saber se deve ou não levar algum prato de comida, bebida ou sobremesa, ou mesmo já oferecer antes uma especialidade sua, assim você vai agradar os convidados em cheio". Mas se não há muita intimidade com a sogra ou anfitriã da casa, a dica é apenas perguntar sobre algo mais simples que você possa levar. "É elegante um vinho, champagne, espumante ou panetone, por exemplo. Se não tem muito contato com a pessoa não telefone antes da festa para oferecer ajuda, pois se a anfitriã quisesse, teria pedido quando a convidou".

A escolha do presente para a sogra ou anfitriã da casa às vezes é uma missão impossível para muita gente. Se você deixou para comprá-lo na última hora leve em consideração o tipo de pessoa que ela é: idade, maneira de viver, entre outros fatores. "Pode ser um objeto de decoração para casa (quadro, vaso, porcelana, candelabro, porta-retratos, garrafa de cristal, etc.). As mais vaidosas vão adorar um kit de maquiagem. Se você ainda não a conhece direito pergunte ao seu namorado o seu gosto musical e aposte em um DVD do seu artista preferido. Chocolates também são uma boa alternativa". Pior do que errar é chegar sem nada e ainda por cima alegar que você ficou em dúvida porque ela tem de tudo.

A relação com a sogra não é das mais amigáveis, certo? Sofia lembra que é preciso sempre uma boa dose de paciência. "Não se esqueça que a família do seu marido é a sua também. Junto a este pacote vem a sogra, genros, etc. Lembre-se que antes de mais nada ela é a mãe dele e caso aconteça alguma saia justa, não espere que ele tome seu partido". Dessa forma, guarde a sua verdadeira opinião sobre a decoração da casa ou mesmo a comida servida, caso não goste. "Já que não há como evitar a visita da sogra ou mesmo visitá-la nesta ou em outras datas comemorativas, relaxe e aproveite a festa!".

O mesmo vale para o prato servido. Não faça críticas, apenas deixe de comentar sobre a preparação. Imagine a situação contrária, sem dúvida você também ficaria chateada. Se a festa tiver muitos participantes é mais fácil usar aquela "disfarçada", pois ninguém notará que você não gostou de um ou outro prato. Com poucas pessoas à mesa, coloque uma pequena quantia no prato e vá conversando durante a refeição, dizendo que não está com fome.


E não pense que depois da festa é deselegante levar uma marmitinha com o que sobrou. Sofia ressalta que esse hábito vem de antigamente, quando as pessoas moravam longe dos locais das festas. "Elas não tinham onde e como parar para fazer uma refeição antes de chegar em casa, por isso levavam algo para comer". Bom senso e, acima de tudo, uma boa dose de bom-humor farão com que você consiga sair de algumas saias-justas e aproveite a noite familiar.

Por Juliana Lopes

Comente