Encontro rápido

Encontro rápido

A moda nasceu nos Estados Unidos, criado por um rabino e sua esposa, para ajudar jovens solteiros a acharem o amor da vida, há mais de 10 anos. A ideia era promover encontros amorosos entre jovens que não se conheciam anteriormente e assim, quem sabe, engatar um namoro sério. Estava criado o "Speed Dating".

A prática ganhou outros públicos e atravessou fronteiras. Virou um jeito novo de se relacionar, de forma divertida e - garantem os idealizadores - eficiente. No Brasil, acontece há menos de um ano e rola principalmente através do site Speed Dating Brasil. "A ideia de trazer o Speed Dating para cá surgiu depois que assistimos a filmes como Hitch - Conselheiro Amoroso e O Virgem de 40 Anos, que mostram cenas de Speed Dating. Ficamos curiosos, pesquisamos e descobrimos que o serviço era popular em outros países, mas não existia no Brasil", lembra Felipe Padilha Cupertino, um dos idealizadores do site.

Aqui e em outros lugares do mundo, os encontros mediados via site acontecem em bares, restaurantes, principalmente aqueles onde é possível ter uma conversinha tranquila e rapidinha. Normalmente, 30 pessoas trocam um papo de no máximo 4 minutos. O tempo, que parece pouco, é mais do que suficiente para que uma pessoa saiba se a química rolou.

Para participar é preciso se inscrever no evento de acordo com a faixa etária e fazer o pagamento, que varia entre R$ 50 e R$ 60 por pessoa, por evento. No dia, basta ir ao local, pegar crachá e cartões para anotações e mergulhar na aventura de conhecer os ‘estranhos’. O público é bastante variado e os eventos acontecem para pessoas a partir de 18 anos, sem um limite máximo de idade. "Podemos dizer ainda que os frequentadores são pessoas de bom nível sócio-econômico, sendo que muitos deles conhecem o Speed Dating por terem visto em outros países. Também observamos uma variedade grande de raças, o que contribui para uma pluralidade cultural", avalia Felipe.

Em mesas ou sofás, as mulheres permanecem sentadas e os homens fazem um rodízio. Quando o tempo acaba, uma campainha soa e está na hora de conhecer o próximo. A espécie de "dança das cadeiras" acontece até que todos os casais tenham se conhecido. Nos cartões de anotações as pessoas escrevem se gostaram ou não e dos pretendentes e entregam tudo aos organizadores. Se houver interesse mútuo, é arranjada mais uma conversinha básica. "Os resultados são divulgados individualmente, no dia seguinte ao evento, de forma que nenhum participante se sinta constrangido ou com qualquer tipo de pressão", explica Felipe.

Segundo ele, normalmente o evento rola em um bar descontraído, com música, em um ambiente reservado, justamente para deixar os participantes mais a vontade. "Além disso, nossa ‘Cupido’ recebe os participantes com alto-astral, servimos drinks e, logo em seguida, fazemos uma atividade justamente para tirar a timidez, nervosismo e ‘quebrar o gelo’ entre os participantes".

Felipe acredita que a internet realmente influenciou a forma com que as pessoas se relacionam hoje. "Os diversos sites que existem, desde Facebook, Orkut, Twitter, até os sites voltados para relacionamentos afetivos, por um lado contribuíram para facilitar a interação entre diversos tipos de pessoas, estando em qualquer lugar e a qualquer momento", afirma. Mas ele acha que esses mesmo sites tornaram os relacionamentos muito superficiais, frios e até falsos em determinadas ocasiões. "Nosso objetivo é fazer com que pessoas que buscam conhecer um novo parceiro e quem sabe um novo amor, o façam de forma real, olho no olho, pois acreditamos que o contato real é imprescindível para sentir se rola ‘química’ e, posteriormente, para o bom desenrolar do relacionamento".

O interessante do Speed Dating é que, como não há contato prévio, os mais receosos podem ficar tranquilos com relação à pressão ou às expectativas imediatas. Todo mundo sabe que acabou de se conhecer! O papo rápido evita que você perca tempo com um chato, o que também conta muito nos tempos de ‘caça’ de hoje.

Quem participa, aprova. Thelma, de 33 anos, disse que deu muitas risadas e sim, conheceu pessoas legais. "No mínimo amigos você encontrará", garante. Letícia, que tem 30, acredita que seja uma boa maneira de conhecer pessoas e quer logo participar de um evento. Andréa, de 34, foi com as amigas e adorou, principalmente o que ela chamou de ‘nível cultural’ dos participantes. Luisa, de 32, concordou. "A educação e o nível das pessoas participantes foi sensacional. Me diverti muito".

Os homens também gostam a ideia. Bruno, de 27, foi por que não queria passar a virada de ano sozinho. "É um mundo desconhecido por mim, mas acho que vou arriscar". Ele se deu bem.


Por enquanto, os eventos de Speed Dating estão acontecendo somente na cidade de São Paulo. Mas já há projetos para a ampliação do serviço para as principais capitais do Brasil, com previsão de início em 2011.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente