Emoção demais pode azedar o amor

Emoção demais pode azedar o amor

Cuidado com o excesso de sentimentos à flor da pele. Foto: © Radius Images/Corbis

Quando vocês se conheceram, apesar das diferenças, gostavam de discutir e disputavam quem ganhava a razão. O tesão e a paixão foi instantâneos, e durante um tempo, isso nem foi lembrado, e então, no dia a dia, essas divergências de opinião, as pequenas discussões se tornaram um tempero a mais no relacionamento e isso foi evoluindo a ponto de haver muito ciúme, muita revolta, muito tudo.

É tanta emoção, é tanto sentimento que o amor se esvai e fica um cansaço. O que há com a paz, com a tranquilidade que um amor supostamente traz? Nesse caso, ele não existe. Não parece amor, parece mais uma obsessão, algo mais próximo de um vício. Um relacionamento assim, tão conturbado, mantém uma chama sempre acesa, mas, quem tem tanta energia assim? E o que sobra para amar, mesmo?

Amar sozinho não basta, sexo sozinho não basta e, emoção, sozinha também não basta. Para manter um relacionamento, as coisas precisam de certo equilíbrio, uma balança, pelo menos, quando uma coisa está em falta você complementa, ou quando o outro está você apoia e vice-e-versa.

Todas nós adoramos nos apaixonar, várias vezes, até mesmo se for pela mesma pessoa, ficar sem fôlego, perder a noção, e uma discussão de vez em quando, um "rally de ideias", uma divergência aqui e outra ali, é normal, e realmente pode até causar certa excitação. Porém, quando se leva muito a sério, o estilo "adoro brigar só por causa do sexo de reconciliação" corre o risco de perder a mão, e o resto também.


Por Giseli Miliozi

Comente

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?