Diga barbaridades!

Aline me pergunta o que é que ela deve fazer com uma fulana que anda dando em cima do namorado descaradamente - se ela deve explodir, ou segundo ela diz, “matar ela agora? “

Calma Aline. Passar recibo agora e ainda ficar mal na foto com o namorado não adianta. Antes de mais nada, certifique-se que é mesmo o caso de você tomar alguma atitude ou seja : se ela está invadindo mesmo. Aí, parta para a ação, claro.

Pessoalmente, em casos extremos quando devemos realmente fazer alguma coisa, gosto de usar uma técnica que consiste no seguinte; use seu tom de voz mais baixo porém audível, adote uma atitude firme e discreta, chegue bem pertinho da moça e fale as maiores barbaridades que você imaginar.

Pode insultar mesmo, diga coisas cabeludíssimas, mas sempre em tom muito baixinho para que só ela ouça e não haja testemunha nenhuma. A coisa toda não pode durar mais que 30 segundos: ela tem que ouvir tudo distintamente porém ficar na dúvida se imaginou tudo.

Terminado o discurso, caia fora. É isso aí. Com classe. Afaste-se como quem acabou de oferecer mais um cafezinho - sabe como é?

E pronto. Você desopilou o fígado, ela recebe o recado e seu namorado - bom com ele fica tudo igual - jamais vai achar que pode estar namorando uma megera descontrolada, certo?

Jornalista, escritora e palestrante, Claudia Matarazzo é autora de vários livros sobre etiqueta e comportamento: “Visual, uma questão pessoal”, “Negócios Negócios - Etiqueta faz parte”, “Amante Elegante - Um Guia de Etiqueta a Dois”, "Casamento sem Frescura", "net.com.classe", "Beleza 10", "Case e Arrase - um guia para seu grande dia", "Gafe não é Pecado" e "Etiqueta sem Frescura"

Comente