Dia Internacional de combate à violência contra a mulher

violência mulher

Maria da Penha - foto: arquivo pessoal

Dia 25 de novembro é dia internacional de combate à violência contra a mulher. Por que 25 de novembro? Nesta data ocorreu o brutal assassinato das irmãs Mirabal, militantes políticas na República Dominicana, no ano de 1960.

Las Mariposas - como eram conhecidas as irmãs Patria, Minerva e Maria Teresa - foram assassinadas por agentes do governo militar, enquanto regressavam de Puerto Plata, onde seus maridos estavam presos. O fato produziu enorme indignação na comunidade nacional e internacional em relação ao governo dominicano, e acelerou a queda do ditador Rafael Leônidas Trujillo.

25 de novembro como o "Dia da Não Violência Contra a Mulher" foi decidido por organizações de mulheres de todo o mundo reunidas em Bogotá, na Colômbia, em 1981 em homenagem as irmãs.

No Brasil, um dos símbolos da luta contra a violência é Maria da Penha, uma mulher que sobreviveu a duas tentativas de assassinato pelo marido e virou nome de lei, a lei Maria da Penha.

Infelizmente, a lei que entrou em vigor em 2006 para combater a violência contra a mulher, não teve impacto no número de mortes por esse tipo de agressão, segundo o estudo "Violência contra a mulher: feminicídios no Brasil", divulgado em setembro deste ano, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Segundo dados do Ipea, houve apenas um "sutil decréscimo da taxa no ano 2007, imediatamente após a vigência da lei", mas depois a taxa voltou a crescer. O instituto estima que teriam ocorrido no país 5,82 óbitos para cada 100 mil mulheres entre 2009 e 2011. Em média ocorrem 5.664 mortes de mulheres por causas violentas a cada ano, 472 a cada mês, 15,52 a cada dia, ou uma a cada hora e meia.

Essa situação além de preocupante é revoltante, uma vez que os feminicídios (homicídio da mulher por ela ser mulher) são completamente evitáveis. Se você sofre algum tipo de violência, seja ela física, sexual ou psicológica, não fique calada.

A única forma de combater e diminuir esses números é denunciando.Desde 2005, está disponível o telefone da Central de Atendimento à Mulher, o Ligue 180, criado pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM). O serviço funciona em todo o Brasil para orientar e auxiliar mulheres em situação de violência. A ligação é gratuita e atendentes capacitadas estão de plantão sete dias por semana, durante 24 horas.


Por Jessica Moraes

Comente