Confissões de mulheres de 30

Confissões de mulheres de 30

Divulgação / foto Alexandre Catan

Preocupações, amores, sexo, vaidade, o trabalho, os ex-maridos, as frustrações e os desejos das mulheres de 30 anos. Com humor, as atrizes Juliana Araripe, Melissa Vettore e Camila Raffanti têm desafiado as questões do mundo contemporâneo feminino, explorando no teatro como lidam com vida pessoal, carreira e o jogo de cintura para dar conta de tudo.

A peça “Confissões das mulheres de 30”, que retornou em cartaz, no Teatro Folha, em São Paulo, é um verdadeiro confessionário do que muitas mulheres pensam e como lidam com as realizações e frustrações típicas dessa fase tumultuada da vida, chamada por muitos de “segunda adolescência”.

Peça de Teatro  Confissões de Mulheres de 30

Divulgação - foto Alexandre Catan

Os temas vão desde o primeiro namorado e o casamento até a maturidade e o descontrole emocional. “A gente revive no palco algumas situações e mostra como, às vezes, são patéticas as nossas reações”, conta a atriz Juliana Araripe. Segundo ela, as mulheres saem da peça eufóricas, “querem transar, conversar, ser feliz”. E os homens? “Também saem felizes, já que descobrem que a mulher que tem em casa é perfeitamente normal”, se diverte Juliana.

Para a atriz, “ter 30 anos é perceber que você já não tem 20 para se arriscar em tudo e que ainda tem que casar, ter filhos, e tentar chegar bem-sucedida aos 40. Enfim, é a fase do agora ou nunca”, brinca.

Em entrevista ao Vila Mulher, ela diz ainda que representa no teatro a mulher que já tem história e, ao mesmo tempo, tem toda uma vida pela frente. “É a mulher que tem passado e tem futuro, vivendo a hora de fazer um balanço, de pensar naquilo que fez e para onde vai”.

"O espetáculo se passa em um 'não-lugar', que é exatamente onde se encontram as mulheres de 30 anos”, explica Juliana. A direção fica por conta de Fernanda D’Umbra que, juntamente com Juliana, Melissa e Camila, formam o time de protagonistas do programa “Mothern”, do canal GNT. A dramaturgia é de Domingos Oliveira. Em 1992, ele dirigiu para o teatro o sucesso “Confissões de Adolescente”, da filha Maria Mariana.

A peça está no Teatro Folha e fica em cartaz até o dia 14 de dezembro, sempre às sextas, às 21h30, aos sábado, às 20h e 22h e aos domingo, às 20h. Os ingressos custam R$ 40 (sexta e domingo) e R$ 50 (sábado).

Leia essa postagem de blog da Ana Lucia - Pós-balzaquiana!

Fonte - MBPress

Comente

Assuntos relacionados: relacionamento sexo gnt cultura teatro