Como reagir a uma cantada gay

Como reagir a uma cantada gay

Há situações que ocorrem com pouca frequência nas nossas vidas e acabam nos deixando numa verdadeira "saia justa". Tudo bem que as mulheres estão acostumadas a receber elogios e convites, cheios de segundas intenções, seja disfarçado de entradas para cinemas ou reservas naquele restaurante famoso. Mas como agir quando o convite vem de outra mulher?

Convenhamos, receber uma cantada homoafetiva não é rotineiro. Pela repressão que ainda há na sociedade não é fácil para um homossexual expressar seus sentimentos sem temer a reação do outro. Aliás, dificuldade em expressar sentimentos é algo comum a todas as pessoas. A consultora pessoa Renata Mello afirma: "Acima de tudo é preciso lembrar que estamos falando de amor, de afeto, de interesse, de tesão. Esses sentimentos não têm sexo".

Numa situação delicada como essa, o ideal é ter muito jogo de cintura, não se alterar e respeitar a opção de cada um. A consultora recomenda discrição. "Caso isso aconteça, procure agir de maneira mais natural possível. Não grite, nem dê show, para não expor a outra pessoa. Pense que é sempre difícil lidar com sentimento de quem está afim de você". Renata sugere que se procure usar o mesmo tom de voz. "É uma forma de criar identificação do outro por você", justifica. Se por acaso a cantada for agressiva, não leve em consideração, mantenha a sutileza. Essa dica vale para todas as circunstâncias.

Alguns detalhes podem fazer a diferença. Por exemplo, se você já conhece a pessoa que demonstrou interesse a saída pode exigir mais cuidado para não magoá-la ou ofendê-la. "Diga que você entende os sentimentos dela, mas que não consegue oferecer reciprocidade neste nível de envolvimento, mas apenas de amizade", recomenda Renata. "Se afastar não é o melhor caminho, pode ser entendido como preconceito. Seja natural. Amores não correspondidos fazem parte da história de todas as pessoas", completa.

Se você estiver conhecendo a interessada naquele momento, a conversa poderá ser mais breve. A consultora exemplifica: "Apenas diga: ‘sinto muito, não estou interessada’. Se a pessoa insistir sugiro que, mesmo que não seja verdade, que coloque um namorado, ou marido na parada". Não deixe nunca de ser educada. Renata mostra como: "Se a pessoa te elogiar, agradeça o elogio e pronto".


Este não é um fato que tenha hora e local para acontecer. "Lembre-se, você está lidando com sentimentos. E assim sendo, o cuidado e o respeito com o outro tornarão as relações a seu redor saudáveis e duradouras", finaliza a consultora.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: relacionamento homossexual cantada