Como fazer um homem feliz ou um pouco sobre a magia feminina perdida

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Fazer um homem feliz não é tarefa fácil. E isso não é nossa culpa. Não entendemos os homens e eles não nos compreendem. Isso é um fato que livro de auto-ajuda algum poderá explicar. O fato é que homem é um bicho diferente da gente. Aquela história de príncipe encantado é balela, não existe nem nunca existiu. O que há são homens experts em nos fazer acreditar que somos únicas para eles. Eles mentem, enganam, são falsos e nos traem (em pensamentos ou ações). Aí eu me pergunto e pergunto a vocês: é um homem desses que você quer? Você realmente deseja viver na mentira e na hipocrisia em vez de se abrir à verdade de um amor libertador? Até existem homens fiéis. Mas, faça uma pesquisa de campo e procure entender o que os leva a serem fiéis. Eu já fiz e a resposta é: ética, religião, feiúira e falta de oportunidade. O que eu concluo com isso é que um homem jamais é fiel por amor a sua mulher. Ele não quer enganar, não quer ir pro inferno, é feio que dói ou simplesmente nenhuma mulher deu mole pra ele. Você quer um homem desses? Eu não. O ético será fiel até se apaixonar por outra e eticamente te dispensar. O religioso só fará papai e mamãe e será um fiasco na cama. O feio? Cruz credo, prefiro não dizer. Ah, o outro simplesmente não existe. Tenho visto mtos comentários de mulheres infelizes em seus relacionamentos. Acho que está faltando uma compreensão mais profunda sobre o nosso poder feminino. Está faltando a gente usar todas as estratégias para arrancar suspiros de felicidade e gozo de nossos parceiros. Quem consegue isso, acreditem, ganha um pote de outro. Sei que mtas poderão me criticar, me considerar machista. Fala sério! Não falo de submissão da mulher ao homem. Ao contrário, falo de submissão do homem ao encanto de nós, mulheres. Acho que nós esquecemos do poder de uma boa massagem, de uma dieta que aumente o apetite sexual, de exercícios que estimulem o prazer, da necessidade de elogios sistemáticos e sinceros. Em algum momento da história da humanidade deixamos de praticar a “magia” do amor. O que restou foram bundas e roupas vulgares... Onde escondemos a sabedoria de nossas ancestrais???? Èramos livres! Onde nos perdemos? Em que momento nos tornamos escravas da casa, dos filhos, do trabalho? Onde escondemos a sabedoria de nossas antepassadas??? A dança, a aromaterapia, a gastronomia, os exercícios, sexo tantrico, etc. A dança era sensual e hipnotizadora. Transformamos-na em batidões, em rebolado vulgar, em “putaria”. Os perfumes, nós os inventávamos e então viream os fabricantes tirar-nos este poder. A comida? Abrimos mão dos temperos, dos chás, do cultivo, da energia empregada em cada prato para comer em restaurantes ou para cozinhar sem gosto, sem magia, sem mistério. Os exercícios, hoje, são feitos em academias...com exposição pública do corpo. Não há sedução, mas sim entrega barata e fácil. E o sexo? Bom, estamos todos perdidos. Mudamos tanto de parceiros que fica difícil refletir muito a respeito. Fica para um próximo post. Enquanto isso eu tento encontrar um pouco da mulher ancestral que vive em mim.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente