Assédio contra mulher: americana grava cantadas que recebe nas ruas

Campanha tenta minimizar o assédio sexual nas ruas
cantadas-rua-NY

Foto - Reprodução/youtube

Levante a mão a mulher que nunca andou na rua e ouviu uma cantada, um assobio ou até uma palavra ofensiva. E isso não deve ter acontecido apenas uma vez. Uma nova-iorquina resolveu gravar todo assédio que ouvia nas ruas, com a ajuda de uma máquina GoPro, e o resultado foi surpreendente. 

Em dez horas de caminhada pela cidade, à noite e de dia, mexeram com ela mais de 100 vezes, além das piscadas, assobios e olhadas. Em algumas ocasiões, a mulher chegou até a ser seguida.

Segundo a pesquisa feita na campanha, 98% das mulheres já foi assediada, sendo 80% em lugares públicos como parques, shoppings e cinemas; 77% na balada; 64% no transporte público e 33% no trabalho.

A gravação faz parte de uma campanha da Hollaback e o objetivo é acabar com o assédio que as mulheres passam nas ruas. O que uns chamam de cantada, é, na verdade, violência.

Assista ao vídeo e entenda o caso:

Chega de Fiu Fiu

Em 2013, a campanha Chega de Fiu Fiu, que nós comentamos aqui,  ganhou destaque no Brasil por relatar locais e tipos de abusos sofridos pelas mulheres. 

Já em 2010, a diretora francesa Eléonore Pourriat produziu um longa-metragem que invertia o papel dos homens com mulheres e os faziam sentir na pele o que era ser assediado nas ruas. Apesar de o vídeo ter tido conotação cômica, foi uma severa crítica ao machismo. 

Assista:


Comente