Ciúme virtual - quem nunca?

Ciúme virtual  quem nunca

Pode jogar a primeira pedra quem nunca encanou com as ‘amiguinhas’ - principalmente as novas amizades femininas - do namorado. Nos tempos modernos o ciúme tem outros aliados: e-mail, Facebook, Twitter e Skype são alguns deles. Então, se você, assim como nós, odeia quando aquela ‘fulana’ adicionou o gato a rede de amigos virtuais, bem-vinda ao clube do ciberciúme.

Antes de surtar com o namorado por conta daquele recadinho cheio de segundas intenções deixadas pela ‘ex’ ou das muitas curtidas na página daquela ‘fulana’ que na sua cabeça é mais bonita e mais gostosa que você, os homens nos ensinam uma lição valiosa: correr atrás de provas concretas de traição e não buscar indícios dela.

Uma pesquisa da Universidade Loyola, de Chicago, nos Estados Unidos, mostrou que um em cada cinco divórcios naquele país tem como pivô o Facebook, mas calma lá, tudo na vida tem limites e você não pode terminar um relacionamento por causa de uma ameaça que nem sabe se é real.

De acordo com os psicólogos israelenses Elliot Aronson e Ayala Pines, o ciúme surge quando nos sentimos ameaçados em nosso círculo de segurança. O problema é que no âmbito dos relacionamentos, muitas vezes o ciúme não tem razão de ser e, normalmente, aparece como desdobramento da insegurança de um dos componentes do casal - ou os dois.

Mas se manter o controle quando o assunto é ciúme não é o seu forte, não precisa se questionar sobre sua sanidade mental, afinal, quem nunca teve uma crise de ciúme por causa da ‘sirigaita’ que enviou aquela solicitação de amizade para o ‘seu’ namorado, não é mesmo? Espia só!

Por Paula Perdiz

Comente