"Casei cinco vezes!"

Casamento

Algumas mulheres não podem pensar na palavra casamento. Outras, sonham desde novinhas com o altar e a construção da família. E tem ainda as que levam o sonho tão a sério que não desistem quando a primeira tentativa não dá certo - investem nas bodas várias vezes. É o caso da auxiliar de enfermagem Maria Claudineide Teles, de 56 anos, que casou cinco vezes!

A primeira vez foi quando ela tinha 16 anos. Natural do Acre, conheceu o marido pernambucano no Rio de Janeiro e viveu com ele por cinco anos. “Acabei me divorciando porque minha irmã, que gostava dele, me convenceu de que ele tinha um caso com a secretária”, explica. Apesar das negativas do marido com relação à história, o casal, que teve uma filha, se desquitou.

Por coincidência ou ironia do destino, o segundo marido de Maria foi justamente o advogado que a ajudou com o divórcio. Os dois viveram felizes por muitos anos até que, em 1991, o marido faleceu de enfisema pulmonar. Com mais uma filha nos braços, a mulher se mudou para a cidade de Santos, a fim de ficar perto da mãe.

E foi na nova vizinhança que ela conheceu o terceiro marido, casando com ele no mesmo ano. Com este, Maria viveu por mais de 10 anos, até que ele veio a falecer, também por problemas no pulmão.

Com o quarto marido a auxiliar de enfermagem não viveu muito tempo. Era um rapaz bem mais novo, com problemas de alcoolismo. “Da forma que ele vivia, sabíamos que não ficaria vivo muito tempo. Era sozinho na vida, revoltado”, afirma. Maria chegou a interná-lo, na tentativa salvar sua vida, mas devido ao vício, o homem também morreu.

Atualmente, a acreana vive com seu quinto marido, com quem está há cerca de dois anos. “Esse não fuma, não bebe, dorme cedo e cuida da alimentação”, diz.

Quando questionada sobre o que acha de ter casado tantas vezes, Maria é objetiva. “Para mim é normal, nada é por acaso. Todos os meus maridos eram parecidos, apesar das diferenças, e até eram do mesmo signo - sagitário. Aprendi com cada um”, afirma. Mas ela admite que as pessoas acham um pouco estranha sua história de vida e até dão risada. “Muita gente tem medo de casar ou não quer repetir a experiência. Mas eu fui muito feliz, amada e paparicada”, fala.

O segredo, segundo Maria Claudineide, é levar a vida com muita paciência - e na brincadeira. “Casamento é uma parceria. Amor de verdade não cobra, não tem ciúmes. Foi acreditando nisso que casei tantas vezes”, diz. Mesmo em situações difíceis, como casos extraconjugais, ela não abaixou a cabeça. “Não fiz escândalo, me coloquei acima disso. Cada um administra a vida como quer. Nunca briguei ou me separei por causa de outra, as intrusas eram elas. Ao invés disso, trazia meu marido mais para o meu lado e elas acabavam desistindo", explica.

Por fim, Maria dá um conselho. “Não tenha medo de casar, tenha confiança. Se você já amou alguém e perdeu por algum motivo, ainda assim nasceu para amar e deve tentar de novo”.

Por Cristina Boscolo (MBPress)

Comente