Casamentos muçulmanos

Casamentos mulçumanos

Foto - Dança do Candelabro/ Casa de Chá Khan el Khalili

Casamento arranjado parece coisa do passado. Mas isso ainda é costume e faz parte da rotina do mundo islâmico. Só para ter uma idéia ainda é comum a tradição de o noivo anular a data do casamento se a noiva não for virgem ou ainda homens com quatro mulheres em casa, caso ele consiga sustentá-las igualmente.

“Se o homem falar três vezes para mulher: eu me separo de você! É divórcio na certa”, comenta Jorge Sabongi, proprietário da casa de chá paulistana Khan el Khalili, que promove cerimônias árabes no local e já esteve no Egito por várias vezes, onde acompanhou de perto todo o ritual que envolve a cerimônia.

Isso sem ao menos conhecer os noivos. Pois é, se você for até lá provavelmente será convidado pelos taxistas à festa, caso esteja acontecendo algum casamento no dia. Pessoas de todas as religiões podem participar desde que não estejam com trajes muito decotados.

Dois dias antes do casório, amigas e familiares da noiva preparam um banho especial e massagens à base de açafrão. Suas mãos são tatuadas com henna, mas só as solteiras podem fazer este trabalho. Geralmente a noiva é enfeitada com flores e jóias no grande dia e sua cabeça fica coberta com um véu em sinal de respeito, este enrolado no vestido feito de seda.

Conforme Sabongi, as famílias menos abastadas podem fazer a festa na própria casa do noivo. Antes de acontecer a cerimônia, todos os convidados participam de uma procissão ou cortejo com várias bailarinas que levam o noivo até o local da festa. “As damas de honra, todas cobertas, indicam o começo as festividades, que é cheia de danças, como a do candelabro e outra onde os noivos são levantados na própria cadeira”, diz.

Na mesa, muitos pratos típicos: arroz marroquino, arroz cabelo de anjo, mjadra e kafta de todos os tipos (no espeto e na bandeja). Bebidas alcoólicas são proibidas. Segundo o empresário, o casamento é o acontecimento mais importante dos mulçumanos, além de ser a oportunidade para eles ostentarem a sua boa situação financeira. Isso também se aplica aos convidados, que disputam entre si para quem consegue dar o presente mais caro.

Por Juliana Lopes

Comente

Assuntos relacionados: relacionamento kafta casamento