Casamento: desisti em cima da hora!

Casamento desisti em cima da hora

Divulgação

Nem sempre desistir do casamento às vésperas de subir no altar acontece somente nas novelas. Prova disso é o caso de Mariana*, 33 anos, relações públicas, casada, mãe de um garotinho de 1 ano. Quem acompanha sua rotina feliz ao lado do marido não imagina sua coragem ao desmanchar o antigo noivado faltando apenas três meses para o casamento. Nem o vestido de noiva pronto, a lavadora de roupas, fogão ou microondas já ganhos dos padrinhos foram capazes de convencê-la a dizer "sim" na igreja. "Faltava apenas começarmos a entregar os convites", ela conta.

Não foi por menos. Aos 17 anos, Mariana* deu início ao relacionamento de quatro anos com seu antigo noivo. Achava que estava no momento certo, que tinha encontrado o homem de sua vida. Mas, quando a data do casamento começava a se aproximar, sentiu uma pequena mudança no comportamento dele.

"Ele trabalhava com uma moça que dava em cima dele, eu percebia claramente. Até que chegou um dia que ele foi a trabalho para São Paulo e eu fiquei em casa, à noite. Liguei para ele e ele disse que não ia sair, que não estava muito bem". Começava aí a mentira que terminaria no maior flagra.

"Quando liguei novamente para saber se ele estava melhor, seu pai disse que ele não estava. Resolvi ir atrás", diz Mariana* que, de fato, encontrou o carro do ex-namorado estacionado e, junto com ele, a colega de trabalho. "Na hora, não fui até lá. Mas quando ele saiu, parei ao seu lado no semáforo e perguntei se ele já estava melhor".

Mariana* conta que o ex-namorado tentou falar com ela por uma semana, mas não foi atendido nesse período. E nem contou à família o que tinha acontecido pois, por mais chateada que estivesse, não queria que ninguém o julgasse.

"Quando, enfim, conversamos, desmanchei o noivado. Mergulhei no trabalho e resolvi aproveitar a vida. Dei meu vestido de noiva a outra pessoa, como se fosse uma roupa normal. E superei o meu trauma". O segredo da superação, ela diz, foi a maturidade. "Com 20 anos, eu era muito jovem na época. Hoje, aos 33 anos, tenho certeza de que fiz a coisa certa, pois éramos muito diferentes. Acho que se tivéssemos nos casado, talvez já tivéssemos nos separado também".

Após dois anos, Mariana* conheceu seu atual marido. Não se casou na igreja e nem no civil. É feliz e, por incrível que pareça, mantém contato com a família do ex-noivo, pessoas por quem sente muito carinho. Ele? Também se casou e não faz parte das recordações de Mariana*.

Às mulheres que enfrentarem situação parecida, ela aconselha a pensar no futuro. "Se você for traída e, mesmo assim, se enxergar ao lado desta pessoa pelos próximos 30 anos, talvez consiga manter a relação. Caso contrário, não seja teimosa. Seja feliz!".

Leia também: Novos formatos para casamentos!

* nome fictício

Por Adriana Cocco

Comente