Casamento celta

Casamento celta

Foto/Arquivo Luciana Magalhães e João Carvalheiro

Não importa a cultura, casamento é sempre um momento de alegria e celebração. Cada um, à sua maneira, organiza uma linda cerimônia a fim de receber seus amigos e familiares. Além do casamento com o qual estamos mais acostumados, há os mundialmente famosos como o grego, o indiano e o judaico. Mas uma celebração que está caindo no gosto das brasileiras é o casamento celta.

A civilização celta foi uma das mais ricas do mundo antigo e deu origem a diversos povos entre eles estão os belgas e bretões. O lugar em que há mais vestígios dessa civilização é onde hoje está situada a Irlanda. Uma das principais heranças deixa pelos celtas está ligada ao campo religioso. Há inúmeras divindades que representam elementos da natureza, além de diversos mitos em torno delas.

O senso de justiça, a paz entre todas as religiões, caminhos de fé, a importância dos amigos e suas participações em nossas vidas são alguns dos preceitos do casamento celta realizado no Brasil. "Além disso, é muito importante a igualdade e o equilíbrio entre o homem e a mulher dentro de um relacionamento, o respeito e a admiração pela natureza e pelos elementos como uma metáfora analítica para a nossa personalidade e vida em geral", diz Beatriz Moura Leite, ritualista.

A cerimônia tem uma característica muito diferente do casamento convencional: por ser inspirada em uma cultura matriarcal é celebrada por uma mulher, uma vez que eram elas as sacerdotisas. Para organizar os preparativos do Casamento Sagrado, como é chamado, é feito um estudo minucioso sobre os noivos. "É por isso que se trata de um evento harmonioso que potencializa a essência do casal", afirma Beatriz.

Toda a cerimônia possui uma estrutura baseada em nove momentos. O início é a entrada do noivo e a espera dele pela noiva no ponto de união, um local demarcado por uma mandala de pétalas. Depois o casal segue até a mesa cerimonial e realiza a purificação, lavando as mãos com água e sal grosso.

Em seguida, ocorre algo peculiar a essa cerimônia: os noivos dão a volta na mesa cerimonial e ficam de frente para os convidados para aguardar a entrada dos padrinhos que trazem suas bênçãos e votos ao casal.

Um dos momentos mais importantes no cerimonial é o da Troca das Alianças, que são levadas pelas mães do casal. "Neste momento há muita emoção, pois os filhos reverenciam a presença dos pais e dos avós", comenta Beatriz. "O Casamento Sagrado é ritualístico, simbólico e inesquecível, é um modo de perpetuar as bênçãos e as emoções de um momento tão sublime", completa.

Luciana Espindola de Magalhães e João Alberto Petrocelle Carvalheiro se uniram em uma cerimônia celta, realizada por Beatriz Moura. "O dia de nosso casamento foi de uma beleza tão maravilhosa que nunca nos esqueceremos", afirma Luciana. Na celebração do casal foram usadas flores delicadas, bancos de madeira e ao fundo melodias de harpas e flautas. "As pessoas todas partilhavam de uma mesma sintonia de amor e amizade. Nós e nossos padrinhos sentíamos e irradiávamos uma energia forte e cheia de luz", conta.

"Muita gente chorava de emoção, mesmo quem estava na organização se emocionou. A noite chegou de uma forma suave enquanto trocávamos nossos votos", revela João. "Ao final todos estavam muito felizes, emocionados e românticos", completa.


A ritualista afirma que o Casamento Sagrado respeita todos os caminhos e religiões, traz o simbolismo dos elementos da natureza e conta com a participação efetiva de padrinhos e familiares. A decoração, a gama de cores e a disposição dos móveis faz parte da harmonia e é elaborada através do estudo do casal. "Cria-se uma atmosfera incrível em cada casamento, que deve ser única e personalizada de acordo com as expectativas, ideais e necessidades de cada casal!", finaliza Beatriz.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: relacionamento casamento