Cafajestes , Como Identificá-los ?

Levante a mão a mulher que nunca se deparou com um cafajeste.Todas, em algum momento da vida, já viveram essa experiência.

Isso porque eles estão por toda parte e com as mais diversas caras.

E podem fazer-lhe muito mal, ou muito bem, depende mais de você. Sabe por quê? Por que eles são eles mesmos, sempre. É você quem abre a porta – ou não.

Adorável cafajeste.

É verdade, sim, os cafajestes são quase que irresistivelmente atraentes. Tem uma lábia que nenhum bom moço tem e isso pode pegá-la desprevenida.

Você sabe como identificar um cafajeste?

É preciso saber, pois eles não trazem escrito na testa e você precisa estar preparada quando encontrar um! Parece que eles sentem o cheiro de mulher carente e vão aparecer no momento em que você estiver mais frágil, acredite nisso.

Parecerão o homem perfeito, pois essa é a principal arma de conquista deles – e você vai acreditar. Estão sempre de bom humor e raramente têm trabalho fixo, embora o trabalho não seja uma unanimidade entre eles.

A barba cerrada e o jeito de quem não se preocupa com nada viraram um estereótipo. Charmosos por natureza e com conversa boa, desde que você não vá fundo demais em algo, pois isso vai espantá-lo, já que fogem do envolvimento.

A sua família vai odiá-lo, mas, ainda assim, você vai defendê-lo com unhas e dentes(o que não quer dizer que todo homem que a sua família não gostar seja um, ok?).

São carismáticos e espontâneos e, na hora de mentir, podem até fazê-la chorar de remorso por ter duvidado dele, pois são excelentes atores.

Um cafajeste traz flores sempre que apronta alguma, só para tentar driblar você com mimos, afinal, ele sabe o seu ponto fraco.

Romance é com ele mesmo e isso a prende incrivelmente. É difícil se desvencilhar dele exatamente por isso, é um Don Juan e vai deixar você perdidamente apaixonada.

Um amante de primeira, um tremendo cafajeste. E o pior é que ainda pode ser lindo. Ai, meu Deus.

Por que eu?

É muito comum vermos mulheres dizerem: “Por que só atraio homem que não presta? “ Na verdade, elas já estão com a resposta: elas atraem.

E, na maioria das vezes, são mulheres incríveis, de ótima índole, porém frágeis emocionalmente.

E essa é a primeira característica que uma cafajeste “profissional” identifica: a fragilidade – e isso pode acontecer ao inverso também, entre homens incríveis e mulheres extremamente cafajestes, viu? Mulheres bem-sucedidas e lindas se vêem numa trama ardilosa da qual não conseguem se desvencilhar.

Mas, por quê? Meninas, é simples. Atraímos o que emanamos.

E, quando ficamos frágeis, a nossa sintonia está baixa demais para atrairmos algo bom.

E aí vêm as doenças, as neuras, a depressão e.... os cafajestes. Eles vibram nessa onda baixa. Tanto que você jamais vai ver um cafajeste com uma mulher segura e dona de si – a menos que ela é quem esteja se “aproveitando” da parte boa dele, espertinha.

E sabe por quê? Por que mulheres estáveis emocionalmente sabem identificá-lo na primeira cantada ou no primeiro deslize e logo caem fora, antes de se envolverem emocionalmente, já que são bem resolvidas para fazer isso.

Falei que um cafajeste não traz escrito na testa a sua índole, mas, quando abre a boca, só não vê quem não quer. São todos iguais na essência, ou na falta dela, é impressionante. E se você não estiver bem consigo mesma, vai cair nessa. Afinal, o que é que você anda atraindo para a sua vida?

Para onde irei?

Sinto muito, mas o nosso pai estava certo: boate não é lugar de procurar compromisso. Na praia, muito menos. Está no carnaval, no meio do bloco da Ivete? Convenhamos, o que você espera encontrar? Diversão? Ótimo, terá. Casamento? Ora, por favor!

Claro que existem belas histórias de amor de casais que se conheceram em lugares da night, mas você há de concordar comigo que balada e paquera andam juntas, balada e compromisso, não! Se você encontrou seu grande amor na praia, em pleno carnaval, pode parar de ler esta matéria, pois ela não lhe serve.

Ao menos, por enquanto e espero que nunca precise. Mas, em locais de festas, as pessoas só têm o compromisso de se divertirem, assim como você, que também está lá.

E não há nada de mal nisso! Pode coincidir de o seu príncipe estar dando sopa naquele exato lugar, naquele exato momento, mas há mais chances disso não acontecer.

Vai pra balada? Divirta-se e tire proveito dela. Quer alguém para namorar? Abra o olho diante do que vai encontrar, pois eles a-d-o-r-a-m balada, como você. E sabem disso. O perfume de um cafajeste é o melhor do mundo e tem um sorriso de matar.

Portanto, jamais use a balada como fuga para alguma frustração, pois ele tem um radar que vai localizar você. Use a balada como diversão e encare a paquera que surgir dela como uma deliciosa conseqüência.

Assim, você terá mais chances de saber se aquela incrível pessoa que você conheceu veio para ficar ou se deve permanecer apenas naquela noite de sábado. Às vezes, a gente estraga uma gostosa aventura esperando algo mais dela. Isso é errado.

Cada um dá o que tem e a gente fica querendo tirar das pessoas o que elas não têm para dar. Se liga. Nem tudo que reluz é ouro.

Aproveitar?

Sim, aproveitar. Cafajeste é para divertir você, pois eles são bons nisso. Não é para ser seu. E, se for, você vai se arrepender, pois ninguém muda um cafajeste de verdade. Os homens aprenderam isso há mais tempo que nós e nós os condenamos.

Eles já têm na cabeça “mulheres para casar e mulheres para se divertir” e a gente acha isso machista. Mas, não é. É que eles já selecionam o tipo de mulher que eles querem para cada objetivo. E você ainda não aprendeu e fica se babando para qualquer um que aparece? É como atirar pérolas aos porcos.

Viva a vida com as ferramentas que ela lhe oferece e crie as suas próprias.

Chega de transferir a responsabilidade pelo que deu errado na sua vida aos outros, pois você já cresceu – ou, pelo menos, deveria ter crescido. Se você achou que o sapo era um príncipe, problema seu.

Nem o sapo tem culpa disso. Aproveite das pessoas o que elas têm de bom e não o que elas não têm, senão vai sofrer mesmo. Ninguém é só ruim, assim como ninguém é só bom.

Os “sapos”, por exemplo, podem ser muito divertidos e ótimos amantes e os “príncipes” serão bons companheiros. Sem falar que todos nós temos um lado “sapo” de vez em quando.

O erro é querer se casar com um sapo ou querer que um príncipe faça coisas fora da sua natureza. Cada um é o que é. E você tem total autonomia para escolher a pessoa com quem vai conviver.

Autonomia e responsabilidade pela sua escolha. Ah, ele mentiu pra você? Salvo se você tomar uma titude na primeira vez, não tem desculpa.

Uma segunda mentira só vem depois que a primeira foi aceita. E se você aceitou, ninguém foi enganado aí, né?!

Blargh!!

Tem gente que adora ser vítima. Nas batalhas da vida, ser vítima é bem mais cômodo. Significa não lutar e ser protegida. Significa não errar, pois só os outros erram. É ter medo de tudo também e não experimentar o gosto da derrota, que, muitas vezes, é o ingrediente principal para vitórias futuras.

Blargh!! se você é uma dessas pessoas. Blargh!! se você é daquelas que ficam chorando pelos cantos dizendo que foi enganada. Vai dizer que acreditou naquelas desculpas esfarrapadas e na ausência prolongada dele?

Blargh!! se você tenta convencer o mundo que não sabia que ele era um cafajeste. É, mas na hora do bem bom.... quer enganar a quem? Ninguém engana ninguém.

A verdade é que a mulher sempre sabe quando o homem não é decente, só que, por medo de ficar só, por carência, por sexo, ou seja lá por quais motivos forem, prefere não enxergar.

E o mesmo vale para os homens, quando se envolvem com mulheres cafajestes também, já que estamos usando o termo para definir o estilo descompromissado de ser. Aí, quando a realidade se faz ser vista, buáááá!!!! – vai chorar no ombro do amigo, da mãe, de quem estiver por perto, como se fosse uma grande novidade o desfecho trágico do romance.

E você esperava o quê, depois de tudo? Quantas vezes você fechou os olhos e tapou os ouvidos, para não ter que admitir a verdade?

Blargh!! toda vez que você se cega, fingindo ser o que não é e fingindo não ver o que as pessoas são.

Um cafajeste assumido é muito mais digno que uma mulher que se faz capacho dele, como se desconhecesse a realidade.

Já falamos que cafajestes são gostosos por natureza, por que vivem para o prazer. Não tente transformá-lo num monge, porque ele não o será.

Se você quiser sexo e diversão, terá gratas surpresas. Pare de querer dos outros mais do que podem dar e culpá-los pelas suas expectativas.

Blargh!! se você insiste em não entender que é responsável pelo que faz com a sua vida. Não, ninguém engana definitivamente ninguém.

As pessoas se deixam ou não enganar, escondem-se ou não atrás dos próprios medos, aceitam ou não viver à mercê do outro.

E se você estiver com um desses cafajestes da vida, a menos que você esteja se divertindo com isso, sinto muito, ai é problema seu !

Comente