Aos Homens Pequenos e As Mulheres Grandes

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Achei maravilhoso e esclarecedor esse texto da Ana Carolina Rezende e peguei pra postar aqui. Aproveitei uma outra postagem da Bianca Gordinha pra trazer à tona algo sério sobre o que dizer. É muito comum ler reclamações das meninas sobre uns rapazes que aparecem nas redes sociais e na vida real. É só uma amostra, não representa o mundo como um todo, mas… segue…

Sobre a Auto-Estima e a Sedução – Parte I

“Estou sendo levada a acreditar que muitos homens acham que nós que estarmos acima do peso estamos com uma péssima auto-estima, sendo assim seria um favor que eles nos fazem de enviar mensagens induzindo ao sexo. Estou deletando vários “amigos” do face por causa do assédio negativo, e por fim nem estou mais aceitando alguns convites de amizades.” Bianca Gordinha.

Sobre a Auto-Estima e a Sedução – Parte II

“Gosto não se discute e deve-se respeitar. Mas, só para citar como exemplo, alguns homens preferem estar ao lado de uma mulher magra e burra do que ao lado de uma mulher inteligente, descolada, culta, educada e gorda. E isso serve também para mulheres que preferem homens sarados e acéfalos, a estarem ao lado de homens inteligentes, que as valorizam e gordos. Sinto pena de gente assim, e quem for do sexo masculino e não quiser se aproximar de mim por causa do meu peso, por favor, não se aproxime mesmo, quero avisar que está me fazendo um grande favor, poupando-me e se poupando, porque minha preferência é por homens de verdade. E para aquelas que possuem ?namorados? que sentem vergonha de assumirem o ?compromisso?, de as apresentarem para os amigos, digo para se valorizarem mais, porque se não, sempre terão como ?companheiro? alguém que pensa ser homem, mas que não passa de moleque. Felicidade alheia incomoda, e se vier de uma gorda incomoda muito mais. Eu sei, eu sinto. Mas desenvolvi um trabalho mental de auto aceitação e amor próprio que excluiu da minha vida a vergonha de ser quem eu sempre fui: uma mulher gorda que tem todo o direito de ser e estar feliz, de buscar meu caminho, de lutar por meus sonhos e de não aceitar ser discriminada pelo tamanho do meu corpo. E de excluir da minha vida qualquer um que queira me fazer sentir menos do que sou. Sou uma mulher acima do peso e sou feliz. Gosto de mim, aliás, me amo, exalo sensualidade, carisma, alegria de viver e aprendendo a encarar a vida sem medo do que os outros vão dizer, porque falar eles falam mesmo e minha energia é poderosa e abençoada demais para ser gasta me preocupando com esse tipo de coisa, prefiro investi-la no meu crescimento e aprimoramento intelectual e emocional. Hoje, percebo que o que incomoda mais as pessoas não é o meu corpo roliço, mas a leveza da minha alma, o desprendimento que tenho em relação ao que prega o preconceito, e o amor próprio que faço questão de ressaltar.


O incomodo que estas pessoas sentem é pela felicidade que tenho, e que elas, inconscientemente talvez nunca vão possuir, porque perdem tempo e energia demais em invejar o outro ao invés de ir atrás do que lhes é de direito, o direito de serem felizes. Não tenho um pingo de vergonha do que sou e de como estou, e por isso que digo: Sou gorda sim, e por que não?” Ana Carolina Rezende

 

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente