Amor em tempos de Copa do Mundo

Amor em tempos de Copa do Mundo

Moças e rapazes que assistem juntos aos jogos da seleção brasileira durante a Copa do Mundo: não permitam que tolas análises futebolísticas, comentários inoportunos, cerveja quente, emoções à flor da pele ou os resultados dos jogos imponham cartão vermelho ao seu relacionamento amoroso.

Brincadeiras à parte, profundas crises de relacionamento podem ter início no momento em que o juiz autoriza a partida. Afinal, muitos homens insistem em dizer que as mulheres não dão sossego na hora do jogo. E elas... bom, elas não se conformam em ter de participar apenas trazendo bebidas e salgadinhos para a sala, sem ninguém com paciência ao menos para explicar quando e por que o lance estava impedido...

O fato é que para muitas mulheres futebol é coisa séria, mas na hora da partida nem sempre a presença de ambos os sexos no sofá é compatível. Para amenizar a situação, entrevistamos um homem que adora futebol e é fanático por Copa do Mundo. Celso Gattaz é um dos criadores do Copa em Debate, programa em vídeos postados no Youtube (www.youtube.com/user/copaemdebate) no qual suas mulheres, diga-se de passagem, ajudam na produção. Confira!

Em pleno século 21, é possível que homens e mulheres assistam em conjunto às partidas da seleção brasileira durante a Copa sem que isso acabe em brigas?

Celso - É totalmente possível! Mais que isso, na minha opinião, para que se tenha um bom relacionamento, é necessário que os homens encontrem uma forma de incluir as mulheres no futebol e instigar o seu interesse pelo esporte. A idéia de que "futebol é coisa de homem", ao meu ver, além de machista, é um conceito totalmente superado. É interessante ver o futebol pela perspectiva da mulher, que é diferente da do homem.

Na opinião dos homens, qual o ideal de conduta das mulheres durante as partidas?

Celso - Não acredito que exista uma "conduta ideal". Para mim, a mulher que quer participar, quer torcer, tem que participar, tem que juntar-se ao namorado ou marido na torcida. Por outro lado, se a mulher realmente não tem nenhum interesse no futebol, manifestar esse sentimento pode ser perigoso, principalmente em época de Copa do Mundo. Isso pode causar desentendimentos e, nestes casos, a melhor coisa que a mulher pode fazer é aceitar o fanatismo do marido ou namorado e aprender a lidar com isso, respeitando esses momentos sem colocar-se no caminho ou demonstrar contrariedade.

Quais são as perguntas ou hábitos que os homens não toleram do grupo feminino na hora do jogo?

Celso - Na verdade, na hora do jogo, qualquer homem fanático fica muito irritado com qualquer tipo de bate-papo ou conversas paralelas que não sejam estritamente relativas ao jogo em si. Outra coisa irritante é ver a mulher sentada em frente à TV, bem na hora do jogo do Brasil, folheando uma revista qualquer. Também irritam perguntas como: ‘quem está jogando?’ e ‘quem é aquele jogador?’.

Reconhecem que, atualmente, as mulheres palpitam com muito mais conhecimento de causa durante as partidas?

Celso - Sem dúvida. O interesse e a participação da mulher no futebol como um todo cresceu muitíssimo nos últimos anos. Hoje se vê muitas mulheres no ambiente do futebol, sejam juízas, bandeirinhas, repórteres de campo ou torcedoras. No meu caso específico, posso dizer que dei sorte, já que a minha namorada é fanática por futebol e realmente gosta de acompanhar todos os jogos e campeonatos importantes. O único problema é que eu sou corinthiano e ela sãopaulina, mas isso é administrável. Não é fácil, principalmente quando os dois times se enfrentam, mas, com um pouco de compreensão, tolerância e bom humor, tudo é administrável. Afinal, é apenas um jogo, e muitas pessoas, hoje em dia, parecem se esquecer da característica lúdica do futebol.

Arriscaria-se a assistir sozinho aos jogos do Brasil na presença de sua mulher e as amigas delas?

Celso - Sim, sem problemas. Contanto que as "regras" ficassem bem claras:

1 - Sem bate papo,

2 - Sem passar na frente da TV,

3 - Nada de telefone durante o jogo,

4 - Deixe as perguntas para o intervalo.

Após um jogo tenso, a vitória ou derrota do Brasil é capaz de influenciar a relação?

Celso - Acho que o homem que deixa o futebol influenciar sua relação amorosa é um tolo. Futebol, apesar de toda a paixão, é só um jogo, e nunca podemos perder isso de vista. Depois que o jogo acaba, a vida continua.


Comemorar a vitória do Brasil a dois é tão especial quanto com os amigos, ou não?

Celso - Pode ser até melhor, especialmente se a sua namorada gosta de futebol, como é o caso da minha. O ideal mesmo é curtir junto com a namorada e amigos.

Por Adriana Cocco

Comente