Ainda amo meu ex. Como aceitei essa dura realidade

Às vezes, é preciso admitir algo a si mesma para superar e seguir em frente

A melhor forma de superar um relacionamento que não de certo é a reflexão. Foto: iStock/Dimedrol68

Depois de muito tempo, de tanto quebrar a cara, eu aprendi que quando nós negamos o que sentimos (mesmo quando só estamos tentando nos proteger), a negação acaba tirando nosso poder pessoal. Por exemplo, dizer que não queremos reconhecer a nossa vergonha sobre algo ocorrido no passado, e nos negar. O que acaba acontecendo é que nos sentimos derrotados, impotentes e fragmentados, embora o nosso objetivo possa ter sido autopreservação. Este processo é contra-produtivo.


Por extensão, tenho também aprendido que é muito mais fácil dar amor e compaixão para si mesmo quando você reconhece a sua verdade - não importa o quão doloroso, embaraçoso ou difícil seja.

Agora, a minha história ...

Cinco anos atrás, eu terminei um relacionamento com um homem que eu amava profundamente, e eu acreditava que ele seria meu marido.

Esta relação foi diferente de todas as outras que eu tive. Havia algo intangível e inefável que nos aproximou um do outro. Foi magnético, gravitacional. E não era o tipo de atração tóxica (confie em mim: eu tenho experiência suficiente para conhecer a diferença).

Em numerosas ocasiões, tentei entender por que algo tão grande foi tão errado - e também é por isso que eu não tenho sido capaz de estar em um relacionamento saudável desde então.

Há alguns anos, eu nunca teria escrito qualquer um desses sentimentos e nem teria exposto tudo o que sinto dessa maneira. Mas eu aprendi que o poder pessoal reside em possuir suas emoções, mesmo se tudo que você quer fazer é engoli-los em invisibilidade.

Aqui estão quatro realizações que eu tinha sobre mim e minhas lutas com a intimidade que me ajudou a aceitar esta dura verdade:

1. Percebi que minhas próprias questões de culpa sabotaram o relacionamento

Em algum nível, eu deixei meu namorado de quatro anos ou mais, porque eu estava com medo. Em particular, eu senti uma culpa enorme, preventivamente, que iríamos nos casar e ter filhos ... e que eu teria que me afastar dos meus pais.

Acho que eu nunca digeri totalmente o fato de que na cultura da minha família, é esperado que você saia de casa para fazer faculdade, mas também que você vai voltar para casa quando você se casar e ter filhos. 

2. Que a vergonha me fez entrar em relacionamentos doentios

Senti uma enorme vergonha após o término do meu relacionamento. Sentimentos de indignidade me consumiam. Eu percebi que o fim do relacionamento foi levando mais do que apenas tristeza sobre uma situação isolada: senti, em vez disso, dúvidas sobre minha capacidade de amar e de me comprometer. Pensei que talvez eu não conseguisse fazer funcionar a relação com alguém que eu amava tanto!

Esta crença limitante me levou a tentar um relacionamento doentio após o outro, então eu não tenho que enfrentar a vergonha e medo em torno destas questões. Era mais fácil perseguir a excitação de um novo relacionamento do que lidar com as emoções negativas que foram fervendo sob a superfície.

3. Ansiedade e depressão me impediram de elevar minha auto-estima

A tristeza, a vergonha e a culpa que eu sentia se disfarçaram como ansiedade flutuante e depressão generalizada. Eu reprimi tanto minhas emoções que cada vez que eu tinha uma ligeira queda por alguém, eu ficava tão ansiosa que meus sentimentos mal cabiam em mim. A ansiedade e a depressão me fizeram perder a minha confiança, minha crença e auto-estima.

4. OK! Eu ainda amo meu ex, e eu vou amar novamente

Certa vez eu me permiti processar esses sentimentos de vergonha, culpa e tristeza, e aí todas as minhas emoções apontaram para o amor para o meu ex. Recentemente, eu o vi pela primeira vez em cinco anos e o que a maioria das pessoas chamam de "borboletas no estômago" ainda estava lá. Você sabe, é aquela coisa que você simplesmente não pode colocar em palavras.

Quando eu levei um tempo para ouvir minhas emoções internas e não minha cabeça, eu percebi uma verdade significativa: ele tirou o melhor de mim, realmente. Eu sabia que por causa dele, eu me senti excitada, inspirada, segura, engraçada, digna e amada. Ele me mostrou um vislumbre do meu potencial, mas ele estava apenas refletindo de volta para mim as melhores partes de mim mesma.

Eu também sabia que eu ainda o amava. E que amá-lo ainda era doloroso pra mim. Mas aceitei que esse sentimento ainda está presente, e o que eu ainda sinto é o que vai me permitir descobrir um outro amor novamente, no futuro.

Um dia, deixei a culpa e a vergonha irem embora. Em vez de sentir pena de mim mesma, eu percebi que estava indo na direção certa. Eu era capaz de criar um relacionamento e uma vida em comum com alguém novamente.

Fonte: Mind Body Green

Comente