A nova solteira do pedaço

De volta ao time das solteiras

Foto Photostock Images site: http://bit.ly/gdAJw0

Terminar um relacionamento não é nada fácil, ainda mais quando não é a você quem tomou a iniciativa... Se a mulher já queria fazer isso, mas não tinha coragem, a superação fica menos difícil. Mas quando o fim não é esperado, a nova solteira do pedaço, caso esteja com a autoestima abalada antes do ocorrido, corre o risco de fazer coisas impensadas, se machucando ainda mais e tornando a volta por cima ainda mais penosa.

A escritora e palestrante Rosana Braga, autora dos livros "Faça o amor valer a pena" e "O poder da gentileza", comenta: "Penso que a mulher, quando acaba de ficar solteira, especialmente quando não foi por escolha dela, tende a agir de modo impulsivo, motivada pelo orgulho ferido e pela vontade de mostrar seu valor àquele que a ‘deixou’. E qualquer atitude resultante de imaturidade ou despeito, tende a gerar arrependimentos, dos mais leves aos mais graves."

A escritora dá um exemplo: "Conheço uma mulher que, com orgulho ferido por ter sido informada pelo namorado que a relação havia acabado para ele, saiu com três homens numa única semana e engravidou, passando pelo constrangimento de viver nove meses sem saber quem era o pai, e tendo de avisar os três da situação e da probabilidade da paternidade", conta. "Obviamente, arrependeu-se amargamente de seu comportamento. E podemos considerá-la sortuda, porque a consequência foi um filho e não algo bem pior, como uma DST, por exemplo."

Mesmo quando é a mulher quem decide voltar à solteirice, é preciso ter cuidado para não perder a cabeça. Amanda*, de 29, namorou por quase três anos e terminou tudo há pouco mais de 15 dias, após descobrir que o rapaz a traía. E um dos erros que ele evitou cometer foi usar as redes sociais como confessionário ou "meu querido diário". "Acho errado ficar colocando no Facebook e Twitter mensagens subliminares que, no fundo, a gente quer mesmo que eles vejam", conta. "Minha estratégia foi bloquear o ex em todas as redes. Assim não vejo o que ele atualiza, nem ele vê o que eu coloco e a gente se livra um do outro com mais facilidade."

Disposta a seguir em frente, Amanda passou bem longe de outra atitude que considera errada: a vingança. "Em casos como o meu, de traição e mentira profunda, é preciso segurar a onda. Destruir o carro ou pedir para os amigos darem uma boa surra, por exemplo, só vai dar mais dor de cabeça e pode até gerar problemas com a polícia. O certo mesmo é ignorar, o máximo possível, por mais difícil que seja. Nada machuca mais que o desprezo", garante.

Já o erro de Cátia*, de 32 anos foi tentar encontrar em outros caras o que achava bacana no ex. Namorou por quatro anos e parte deste tempo morou com o rapaz. Aí começou a dependência: além de dormir e acordar juntos, os dois trabalhavam na mesma instituição e estudavam o curso de graduação na mesma sala de aula. Logo, a relação se desgastou. "Depois que fiquei solteira fui procurar em outros homens algo do meu ex. Saía com algumas amigas, mas não conseguia ver graça nos outros caras. Estava fazendo tudo errado. Não eram as outras pessoas que iriam suprir a falta que ele fazia".

Ela acrescenta: "Outro erro que as mulheres na minha situação cometem é não ter certeza do que realmente querem. Se acabou é preciso colocar um ponto final na história e viver uma nova". Amanda concorda e ressalta que não tem mais sentido manter contato com o ex, cunhadas e sogra. "O mais certo é deletar todos os contatos, para não cair em tentação. Essa família não te pertence mais e é preciso investir na distância para evitar cada vez mais sofrimento. Lembre sempre, a família é dele!"


Rosana acrescenta a ressaca emocional na lista de erros cometidos pelas mulheres que acabam de ficar solteiras. É sim um momento delicado, mas se deixar ocupar o lugar de vítima abandonada e carente, insegura e desvalorizada até por si mesma não é a melhor saída. Amanda acrescenta: "Acho que vale vestir a roupa mais bonita, passar aquele perfume importado, se sentir bem poderosa e mostrar para o mundo que está de volta ao mercado. Em casa, de pijama velho e chorando, o príncipe encantando que com certeza existe por aí jamais vai aparecer!".

*Os nomes foram trocados para preservar as fontes.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente