A moda do "Speed Dating"

A moda do Speed Dating

O tempo está cada vez mais escasso para todo mundo. As infinitas horas de trabalho, o trânsito congestionado e os poucos momentos de lazer nos fazem querer acrescentar mais algumas horinhas ao dia. E quem deseja incluir um relacionamento nessa rotina louca, precisa rebolar para conseguir um tempinho e sair por aí à "caça".

Sabendo que o brasileiro gosta de namorar, mas não tem tempo de procurar a cara-metade, foi criado o Speed Dating Brasil (encontro rápido em português). A ideia começou nos Estados Unidos, quando um rabino e sua esposa resolveram ajudar alguns jovens a conhecerem pessoas interessantes. Deu tão certo que países como Espanha, Portugal e Austrália já entraram na dança.

"O Speed Dating também marcou presença em filmes como ‘Hitch - Conselheiro Amoroso’ e ‘O Virgem de 40 anos’. Acredito que o Brasil tem uma demanda reprimida por este serviço, aliado ao fato de que o brasileiro gosta de relacionamentos, é receptivo a novas experiências. Por isso, resolvemos apostar neste segmento", explica Felipe Padilha Cupertino, um dos idealizadores do site.

Para participar, a pessoa interessada deve se cadastrar gratuitamente no site e pagar apenas pelos eventos que participar. O pagamento médio de R$ 70,00 pode ser feito pela internet, com cartão de crédito, boleto bancário ou transferência online. São organizados cerca de três eventos por mês, em bares nos bairros de Pinheiros e Vila Madalena.

Felipe explica que os grupos são segmentados de acordo com a idade, sem levar em conta interesses ou características específicas. "A idéia é que nos eventos tenhamos pessoas de perfis bastante distintos. É o que de fato acontece, no entanto, observamos que a grande maioria dos participantes é de ótimo nível socioeconômico e sente falta de locais onde poderia conhecer alguém", comenta.

Funciona assim: as mulheres ficam sentadinhas e os homens se aproximam para bater um papo de pelo menos quatro minutos, para ver se rola a chamada "química". Eles são obrigados a passar por todas as mesas. Em apenas uma noite as pessoas poderão conhecer e conversar com cerca de 15 pessoas diferentes, que estão ali com o mesmo objetivo: encontrar um namorado(a) e iniciar um relacionamento afetivo.

Ao final de cada conversa, os participantes preenchem uma ficha e dizem se querem conhecer melhor o pretendente, ficar apenas na amizade ou se não se interessaram. Depois, a equipe do Speed Dating faz o cruzamento dos resultados e envia os contatos para aqueles que tiveram interesse mútuo. "A partir daí, as pessoas continuam os relacionamentos sem a nossa interferência. O que fazemos é uma pesquisa de satisfação, com o intuito de captar quantos casais se formaram através de nossos eventos. Há pessoas se casando", revela.

Felipe conta ainda que do evento sai uma grande quantidade de amizades e inícios de relacionamentos. "Recebemos e-mails de namoros que estão em vigor e que não vingaram e de amigos que buscam nossos eventos por indicação de casais de namorados".

E afirma: o Speed Dating Brasil tem um retorno muito positivo. "Observando as fichas dos participantes, podemos dizer que em um evento há cerca de 30% de interesse mútuo entre os participantes (resposta "Sim"), cerca de 50% de amizades (resposta "Talvez") e 20% que não geram interesse mútuo (resposta "Não").


Diferente das agências de relacionamento, não é feito nenhum tipo de "varredura" sobre a vida dos participantes. Isso porque o site tem como premissa que ninguém agirá de má fé, sendo desonesto ao dizer que é solteiro quando não é. "Participam desde executivos, pessoas extrovertidas ou tímidas, descolados ou engomadinhos, até estrangeiros e artistas de teatro e música. É um ambiente bastante multicultural,o que é interessante para que cada participante tenha uma variedade grande nos perfis com quem poderá se relacionar", pensa Padilha.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente