A Culpa é da Maçã - teatro interativo sobre relacionamentos

A culpa é da maçã

Foto Divulgação - Antonio Rocco

Morder ou não a maçã? Eis a questão! A dúvida de Eva, inspirada em Hamlet, serve como pano de fundo para a comédia A Culpa é da Maçã, espetáculo com curta temporada em São Paulo.

A interpretação é da atriz e publicitária Suzana Apelbaum, sobrinha do ator Jonas Bloch e prima de Déborah Bloch, que no palco discute o destino da mulher no mundo e as conseqüências por ter caído em tentações. O fio condutor da peça é o discurso de Hamlet. O dilema criado por Shakespeare ganha novos contornos e passa a ser o eixo central para analisar as atitudes das mulheres ao longo do tempo.

Durante o espetáculo, dirigido por Ronaldo Tasso, Suzana interpreta várias personagens diferentes, entre paulistas e cariocas, aborda as emoções, tensões e tesões de forma mais do que engraçada. A peça é indicada na rede para quem é casada, está em busca de um casamento ou acaba de sair de um.

A culpa é da maçã

Foto Divulgação - Antonio Rocco

O melhor da história é que você pode escolher o final do espetáculo, depois que Eva morde a maçã. No blog da Revista Pix, você vota entre três alternativas:

a) Quando Eva vai morder a maçã aparece Adão. Lindo, gostoso tesudo e pirocudo. È a “alma gêmea” de Eva. Ela então decide ficar no paraíso e, com Adão, vive feliz para sempre

b) Ainda indecisa se morde ou não morde a maçã. Deus manda uma aparição divina: Ligia, publicitária, também bem sucedida, que convence Eva a comer a maçã. Juntas ganham o leão de ouro em Cannes pela melhor campanha interativa on-line “atire nas bolachinhas Maribel e sinta o prazer… de vencer”.

c) Eva decide não morder a maçã e sozinha no paraíso se lança em carreira solo, cantando música Gospel.

A opção mais votada será encenada na seção do dia 20 de dezembro, às 20 horas, no Teatro N.E.X.T - Núcleo Experimental de Teatro (Rua Rego Freitas, 454 - Vila Buarque).

Por Juliana Lopes

Comente