Ouvir batimentos cardíacos do feto pode mudar decisão de abortar

Escutar os batimentos cardíacos da criança estreita o laço entre mãe e bebê e pode ser a oportunidade da mulher desistir do aborto
Ouvir batimentos cardíacos do feto pode mudar decisão de abortar

Nem sempre as pessoas ficam atentas às consequências que a relação sexual sem o uso da camisinha pode ocasionar. No calor do momento, o casal desfruta de um momento prazeroso sem proteção e sem pensar nos riscos de uma gravidez indesejada. Surge então a dúvida em relação ao que fazer com a gestação, algumas optam por abortar o filho não planejado.

Em Oklahoma, nos Estados Unidos, o senador Dan Newberry redigiu um texto intitulado de "The Heartbeat Informed Consent Act" (Lei da Pulsação Informada e Consentida, em tradução livre), no qual ele defendia que a mulher deveria ser obrigada a ouvir os batimentos do feto antes de realizar um aborto. O texto, que sofreu algumas alterações, passou a defender que, antes de realizar um aborto, o médico precisaria informar e não mais obrigar a mulher a ouvir o coração do feto. 


Essa é mais uma tentativa de diminuir as incidências de aborto no país e uma medida proposta pelo pró-vida republicana, que luta contra o aborto. Mas será que ouvir os batimentos cardíacos da criança pode mudar a decisão do aborto?

De acordo com a psicóloga Patricia Lomonaco, incentivar a mulher a ouvir os batimentos do bebê pode aflorar o instinto maternal, uma vez que as mudanças do corpo nem sempre são sentidas logo no começo da gravidez. "O coração tem uma simbologia que é pulsar a vida e as emoções. Quando ela ouve o som do coração batendo, ela pode materializar o filho", explicou ela.

A especialista afirmou que somente em casos em que a mulher esteja com uma negação muito grande com o feto é que ela não se comoverá. Entretanto, o aborto pode gerar machucados que são difíceis de cicatrizarem. "Algumas mulheres cometem o aborto sem pensar, somente depois de um tempo é que elas percebem o ato que cometeram. Assim pode surgir um sentimento de arrependimento. Em outros casos, somente com a chegada do segundo filho é que elas sentem o peso dessa questão."

Patrícia ainda ressaltou: "Ouvir o coração do feto pode ser a oportunidade que a mãe tem de desistir daquela atitude, muitas vezes impensada, e que possivelmente trará consequências negativas no futuro".

Abaixo nós selecionamos um vídeo super bacana que mostra a evolução do feto do momento que ele é apenas um espermatozoide até o nono mês, quando já está completamente formado.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: aborto