Menstruação atrasou, e agora?

Menstruação atrasou e agora

Foto: Image Source/Corbis

Quando a menstruação não vem no dia programado a gente já fica de cabelo em pé. Se temos uma relação estável, não estamos planejando ter um filho agora ou rolou um sexo casual dias atrás, logo nos vem à cabeça uma possível gravidez.

Mas calma, não é só porque a menstruação não veio no dia certinho que o motivo é exclusivamente esse. Mudanças hormonais e psicológicas e até alguns problemas de saúde precisam ser considerados quando ela não vem.

Segundo o ginecologista e terapeuta sexual Amaury Mendes Junior, também professor e médico do Ambulatório de Sexologia da UFRJ, se a mulher está evitando a gravidez de maneira certinha, tomando as pílulas e usando preservativos, a primeira coisa para descartar uma gravidez é fazer um teste de farmácia.

"Eles são bastante confiáveis atualmente. Um falso negativo é até possível, mas um falso positivo é praticamente impossível", diz. Depois, marque uma consulta com o ginecologista para fazer exames de beta HCG (teste para confirmar uma gravidez) e afastar a chance de uma gravidez tubária.

O médico pode também pedir uma ultrassonografia transvaginal para saber como está o endométrio, se o ovário está aumentado ou inchado e se você ovulou direitinho. "Um cisto no ovário cresce muito rápido e também pode atrasar a menstruação. E nem todo cisto é cirúrgico. Até uns cinco centímetros e possível ser desmanchado com tratamento", explica o médico.

Questões psicológicas, como ansiedade, brigas, crises de depressão, perda de um ente querido, separação, fase difícil no emprego, desamor ou tristeza também influenciam bastante na menstruação. O estresse altera o ritmo hormonal, inibindo a produção de adrenalina, o hormônio do prazer. A glândula suprarrenal passa a produzir mais cortisol (hormônio do estresse), que é antagônico à produção de testosterona e estrogênio, o que favorece o descontrole da menstruação.

Problemas de tireóide também afetam o ciclo menstrual. O hipotireoidismo, por exemplo, tem sintomas como ansiedade, angústia, estresse e depressão. "Pessoas muito magras ou obesas também podem ter atraso na menstruação. Como o hormônio é metabolizado pela gordura, a menstruação pode deixar de descer para as magrinhas. Já nas gordinhas o metabolismo desregula", explica o ginecologista.

O climatério, período de mais ou menos dois anos que antecede a última menstruação, também pode alterar o ciclo. O útero passa a não funcionar tão bem, fazendo com que a menstruação atrase um ou dois meses.

Até o anticoncepcional pode ter sua parcela de culpa. As atletas costumam usá-las para não ficarem menstruadas em dias de competição, por exemplo. Ou, ainda, mulheres tomam pílulas para adiar ou antecipar o ciclo por conta de eventos importantes. Mas para não desregular o ciclo de vez, é preciso manter o controle e procurar ajuda médica. O especialista orienta: "No caso da pílula, para não esquecer, eu recomendo que a paciente tome sempre antes de dormir. Se mesmo assim esquecer, deve tomar no outro dia, depois do café da manhã."


Dr. Amaury ressalta ainda que alguns medicamentos interferem na eficácia do anticoncepcional, comprometendo seu efeito antiovulatório. Temos como exemplo os remédios contra epilepsia e determinados antibióticos. "De qualquer forma, se a menstruação atrasou não se automedique. Procure sempre um médico", finaliza o ginecologista.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente