Mãe cria rede social para doadores de embriões

Na rede chamada 'Embryo Donation Network' os doadores podem conhecer mais sobre as possíveis famílias que seus filhos biológicos teriam
doação de embriões rede social

Foto - Reprodução/DailyMail

Você já ouviu falar na doação de embriões? A opção é bastante cogitada por casais inférteis e trata-se da adoção de um óvulo já fecundado, pronto para ser transferido ao útero. A opção surgiu devido a grande parte dos embriões congelados nas clínicas de reprodução humana. Muitos deles não tem mais utilização por parte do casal progenitor e são destinados para fins científicos ou simplesmente descartados. 


Para ajudar os casais que pensam em adotar embriões, a australiana Marieke McPhail teve uma ideia inusitada: criar uma rede social para doadores e destinatários se encontrarem e combinarem o processo de 'adoção'. As informações são do jornal britânico DailyMail.

A 'Embryo Donation Network' é muito parecida com uma rede de namoro. Lá os casais e os destinatários compartilham informações sobre seus princípios, crenças e estilo de vida. A rede foi criada com a ajuda da embriologista Angela Ferguson e tem o propósito de ajudar os doadores a ter uma melhor perspectiva de como seria a vida de seus filhos biológicos caso entrassem em uma família diferente.

doação de embriões rede social

Foto - Reprodução/DailyMail

Segundo Marieke, atualmente existe cerca de um doador para cada 20 destinatários, o que faz com que os doadores sejam cada vez mais 'seletivos' ao doar.

A rede começou em 2012 e vem ganhando cada vez mais pessoas. Ainda de acordo com Marieke, graças a plataforma on-line os inscritos tem mais chances de conseguir embriões doados. Os números são mais positivos para os usuários, cerca de um doador para quatro destinatários.

Adoção que deu certo

doação de embriões rede social

Foto - Reprodução/DailyMail

O que você acha desta ideia? A 'Embryo Donation Network' surgiu depois que a própria idealizadora conseguiu encontrar um casal que doasse a ela alguns embriões. Isto porque Marieke e seu marido não podem ter filhos por problemas de saúde. Eles conseguiram achar doadores graças a um anúncio em uma revista. 

Hoje a pequena Zoe já tem ano e oito meses. A história de sucesso foi o principal motivo da mãe decidir ajudar outros casais a conceber filhos.

Como funciona a doação de embriões no Brasil?

Apenas 10% dos embriões congelados são destinados à doação para casais inférteis. Os outros 90% são autorizados para pesquisas ou descarte, segundo informações do Grupo Huntington, maior centro de reprodução humana da América Latina.

Por aqui ainda é raro encontrar casos em que o casal receptor recorreu à doação de embriões até pela própria dificuldade em encontrar embriões com esse destino. Também existe certo desconforto de pessoas que poderiam ser doadores, de terem filhos biológicos gerados em outra família. 

É importante lembrar que não se trata de 'doar fetos' e sim de ceder o material genético pronto para que outro casal conceba a criança.

Por Thamirys Teixeira

Comente