Dieta da Fertilidade

Dieta da fertilidade

Mulheres que estão planejando engravidar muitas vezes esquecem que os alimentos são grandes aliados nessa fase, pois ajudam a manter as células reprodutoras ativas por mais tempo, aumentando as chances de concepção.

“Nós, médicos, podemos apontar diversos problemas para a infertilidade, até mesmo genéticos, mas a alimentação também tem grande importância neste contexto. Estudos apontam que 15% dos homens e mulheres inférteis estão acima do peso, por isso é preciso ter mais atenção com aquilo que colocamos à mesa quando nos programamos para ter um filho”, explica a Dra. Sylvana Braga, médica ortomolecular, nutrologista, reumatologista e fisiatra.

E no casal, não é só a mulher que deve se preocupar com a alimentação voltada para a fertilidade. “A Sociedade de Medicina Reprodutiva Americana mostrou que 83% dos homens com infertilidade não consumiam frutas e verduras, algo em torno de menos de 5 porções por dia. Já entre os homens que comiam frutas e verduras, o número cai para 40% de inférteis”, conta a Dra. Sylvana.

Você sabia que, na dieta da fertilidade, o álcool e o café devem ser cortados da dieta? Eles aumentam o nível do hormônio feminino prolactina, o que conseqüentemente reduz a fertilidade. “O álcool, por si só, já é um grande inimigo da saúde e dificulta a fecundação por ser tóxico para os aparelhos reprodutores de ambos os sexos, além de desregular o ciclo menstrual. O café consumido em excesso (mais de uma xícara por dia) reduz pela metade a probabilidade de gravidez”, conta a médica.

A famosa gordura trans, que dificulta a ovulação, também deve ser evitada. Dê preferência para a ingestão de gorduras poliinsaturadas e monoinsaturadas (óleos vegetais, azeite, peixes como sardinha, salmão) que favorecem a ovulação regular.

Entre as substâncias que devem ser introduzidas na alimentação estão: ácido fólico, encontrado em alimentos como espinafre e feijão; zinco, presente no germe de trigo e na carne vermelha; vitamina B6, da banana e do frango; vitamina B12, obtida na ingestão de fígado e atum enlatado; e a nossa conhecida vitamina C, encontrada na acerola e em frutas cítricas como laranja e abacaxi.

“Vale enfatizar que as chances são maiores se você encontra-se no peso saudável. Mulheres com sobrepeso devem perder de 5 a 10% do peso para aumentar as chances de engravidar”, finaliza a nutricionista Roberta Silva.

Por Karina Conde

Comente