Dicas para escolher o melhor obstetra

Dicas para escolher o melhor obstetra

A gestação é um dos momentos mais especiais na vida de uma mulher. Por isso, a escolha de um profissional especializado que vai acompanhar todo o pré-natal precisa ser bem rigorosa. Esse obstetra vai acompanhar de pertinho o crescimento e a chegada deste bebê e se tornar, praticamente, um amigo da família.

"A primeira coisa é saber se este profissional tem disponibilidade de tempo, se estará presente no dia do parto. Por exemplo: se o bebê está previsto para nascer no dia 15 de fevereiro, a mãe deve saber se o medico não estará de férias", lembra Dr. Rualdo Meissner, obstetra e ginecologista e coordenador da área de ginecologia do Hospital Nossa Senhora das Graças.

A mãe também deve definir o médico que acompanhará sua gestação com base no hospital onde ela quer ganhar o bebê. A partir daí, precisa descobrir se o profissional que ela escolheu faz parte do corpo clínico daquela entidade. "Outro ponto importante é procurar saber se ele atende pelo convênio da paciente ou se as consultas serão particulares", lembra Dr. Rualdo.

Dr. Almir Urbanetz, membro da Febrasgo (Federação Brasileira de Associações de Ginecologia e Obstetrícia), completa: "Escolher o melhor profissional por meio de indicações de amigas também é muito comum. E quando a mulher tem uma gravidez de risco é comum que ela procure profissionais especializados no assunto".

Segundo o especialista, não é nenhum pouco antiético a gestante ligar para o hospital e pedir uma indicação. Assim, a entidade vai poder descrever as características do profissional e falar da sua experiência. "Caso a mulher queira, pode ainda ligar para o Conselho Regional de Medicina para ver se o médico indicado/escolhido está respondendo a algum processo", orienta.

Outros quesitos que podem ser avaliados pelas futuras mamães, na opinião do Dr. Almir, são tempo de formação e de experiência do obstetra, se ele tem uma boa relação com o paciente (dá a devida atenção e esclarece todas as dúvidas) e se deixa um número de telefone à disposição da mãe, caso ela precise contatá-lo entre uma consulta e outra.

Quanto à escolha do sexo do profissional, o medico do Hospital Nossa Senhora das Graças opina: "Há maridos que sentem ciúmes da mulher e para evitar problemas, ela escolhe uma especialista do sexo feminino. Há também casos de mulheres que não se sentem bem em fazer exames ginecológicos com homens, o que as leva a procurar pelas médicas".


E continua: "Por outro lado, algumas mulheres gostam de se consultar com profissionais do sexo masculino, porque acham que eles parecem entender melhor as mulheres, são mais sensíveis e conseguem atender de maneira mais delicada os anseios da mãe na hora da consulta."

Dr. Rualdo lembra que hoje é muito grande a participação do pai do bebê nas consultas. O pré-natal agora é feito a três: pai, mãe e obstetra. E finaliza: "Por conta disso não é só a habilidade do médico que conta, mas também a empatia, o contato que ele estabelece com o paciente, mesmo que o médico tenha sido indicado e elogiado por uma amiga."

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente