Sobrepeso na gestação

Sobrepeso na gestação

Toda futura mamãe sabe que os cuidados durante a gravidez são essenciais para ocorra tudo bem, sem complicações. Mas muitas esquecem que engordar demais não é nada saudável. Durante a gravidez, o normal é aumentar um quilo por mês, sendo considerado normal o aumento entre 9 e 12 quilos durante toda a gestação.

"No inicio da gravidez, até o quarto mês, a gestante pode até emagrecer, pois, pela ação hormonal da progesterona, pode sentir muita náusea. Assim que esse hormônio começa a diminuir, a náusea cessa, o apetite se reinicia e temos que impor algumas regras para que a mulher não aumente muito o seu peso", explica o ginecologista Mauro Pirotti, do Hospital Bandeirantes, em São Paulo.

O principal causador do aumento em excesso é a falta de regra alimentar. Mas Mauro lembra que existem outros motivos patológicos, como a doença hipertensiva específica da gravidez, a diabetes gestacional, as doenças renais, as tireoidopatias, entre outras.

Além disso, os hormônios, durante a gravidez, sofrem alterações e isso também pode acarretar no descontrole de peso. "O hormônio lactogênio placentário é o responsável por controlar a glicose que circula pelo corpo da mãe e também a produção de insulina. A alteração desse hormônio provoca um desequilíbrio entre a glicose e a insulina e, consequentemente, o aumento de peso", explica a ginecologista Rivia Lamaita, diretora-clínica da Pró-Criar de Reprodução Humana, de Belo Horizonte.

"Com o excesso de peso, o risco de diabetes gestacional também aumenta. Além disso, a pressão arterial pode aumentar e interferir no nascimento do bebê. Sem contar o risco da prematuridade", afirma Rivia. Mauro lembra que o risco do recém-nascido ter hipoglicemia é muito maior quando o peso da mamãe é além do esperado. "Para a gestante, o aumento de peso influi em dores articulares, principalmente na coluna, e facilita muita a entorses de tornozelo, além de falta de ar", completa o médico.

E não vá pensando que apenas o aumento de peso pode provocar problemas - a falta de peso também causa complicações. Nas mães muito magrinhas, o recém-nascido fica abaixo do peso e o desenvolvimento dele durante a gestação pode ficar comprometido.

A saída, então, é uma dieta balanceada, somada a exercícios físicos e pré-natal. "A procura por uma nutricionista é de grande valia", afirma Mauro. O exercício mais comumente indicado para as grávidas é a hidroginástica. "Elas se sentem mais confortáveis", sugere Rivia. Mas isso não quer dizer que todos os outros tipos são proibidos. "A mãe pode fazer o que ela gostar: caminhadas, musculação, pilates, é tudo válido. Ela tem que fazer aquilo em que ela melhor se adapta", completa.


Portanto, fique sempre atenta e siga sempre as instruções do médico de sua confiança, anotando direitinho tudo o que lhe é recomendado. "A mãe deve ter consciência da importância do pré-natal e vontade de acatar tudo o que o médico indica", encerra a ginecologista.

Por Tissiane Vicentin (MBPress)

Comente