Reeducação do períneo evita sérios problemas na região vaginal

Reeducação do no pósparto

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Na região do abdômen há músculos que muitas pessoas desconhecem. É raro quem saiba como controlar esta musculatura. A reeducação da musculatura do assoalho pélvico, mais especificadamente do períneo, por exemplo, é muito importante para as mulheres de todas as idades.

"Esta musculatura tem papéis importantes em cada etapa da vida. Por exemplo, na atividade sexual, no período de gestação, na menopausa e no envelhecimento", explica Dra. Débora Pádua, fisioterapeuta especialista em uroginecologia e autora do livro "Prazer em Conhecer - Você acha que sabe tudo sobre sexo?" (Editora Alaúde, 2011).

A reeducação do períneo trata-se do desenvolvimento dos controles destes músculos. "Quando mantemos esta musculatura ativa ela nos proporciona saúde para que tudo funcione de forma adequada", completa.

Para mulheres que planejam engravidar ou que acabaram de passar por um parto os benefícios são ainda maiores. A uroginecologista explica que no período de gestação o peso do bebê, placenta, líquido etc. fazem muito peso sobre essa musculatura. Isso faz com que ela se torne mais fraca. "Quando realizamos uma reeducação no pós-parto fazemos com que esta musculatura se reabilite o mais rápido possível", afirma a especialista.

A reeducação do períneo pode evitar alterações como incontinência urinária, perda de gases, fezes, desconfortos na relação sexual, flacidez vaginal, ruídos durante a relação, descida dos órgãos, por exemplo, a ‘bexiga caída’, entre outras alterações.

"O fortalecimento pode ser feito somente com exercícios e biofeedback, no caso de gestantes, e eletroestimulação para não gestantes. Estes aparelhos específicos podem ou não ser introduzidos dentro do canal vaginal para que o fortalecimento aconteça", explica Dra. Débora Pádua. "Em todos os casos é necessária uma avaliação inicial para que o melhor tratamento seja indicado", completa.

A avaliação consiste na examinação de toda parte funcional de vagina e ânus. A musculatura que fecha a pelve e forma o assoalho pélvico também é avaliada. A uroginecologista detalha: "Existe uma avaliação chamada eletromiografia, que pode ser mais completa. Introduzimos uma sonda vaginal, em seguida solicitamos à paciente que realize contrações do canal. Por meio de um gráfico, que aparece na tela do computador, podemos ter uma idéia de como, onde e qual intensidade que essa contração é, ou pode ser, realizada."

Os exercícios perineais não são recomendados apenas no pós-parto ou para mulheres mais velhas, ele deve ser realizado ao longo da vida. O tratamento pode durar de um a três meses, dependendo do caso. "Depois do tratamento a paciente continua realizando exercícios em casa ou até mesmo durante a relação sexual", afirma a especialista. Mulheres de todas as idades podem fazer.

Fisioterapeuta especializado em uroginecologia é o profissional capacitado a realizar a avaliação dentro do canal vaginal e da musculatura que compõe o assoalho pélvico. Já os educadores físicos podem complementar o procedimento com exercícios perineais, yoga ou pilates.


A fisioterapia uroginecológica é uma área nova, por isso pouco conhecida no Brasil. "Em países como a França a área de uroginecologia é muito conhecida, pois o governo local incentivam suas mulheres a fazerem dez sessões de fisioterapia no pós-parto para não terem problemas futuros", conta Dra. Débora Pádua.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente