Pré-natal masculino

Prénatal masculino

O Vila Filhos já mostrou que muitos homens também ficam "grávidos", ou melhor, sentem enjôos, ansiedade e até ganham alguns quilinhos junto com as futuras mamães. Além disso participam das consultas e ainda marcam presença nos cursinhos para gestantes. "Todo casal que espera um bebê deve ter respostas às suas indagações. Quanto mais seguros sobre todo o processo que está por vir, melhor e mais tranquilo será o parto, por isso a importância da participação do casal em todo pré-natal", diz o obstetra Aléssio Calil Mathias

Pensando justamente na presença deles durante o pré-natal é que o Ministério da Saúde irá estimulá-los para que também façam um checkup durante a gestação. A ideia é que os profissionais de saúde aproveitem o momento em que o homem está mais sensível - às vésperas de ser pai - para incentivá-lo a realizar exames preventivos. Dessa forma se consegue diagnosticar e tratar doenças que podem afetar a saúde do casal, e, conseqüentemente, do bebê. Entre os exames mais indicados estão o de sangue, a fim de verificar o risco de doenças cardiovasculares e diabetes, e, principalmente aqueles que detectam DST´s e outras doenças infecciosas. Caso elas sejam transmitidas da mãe ao bebê provocam imunidade baixa e até problemas no desenvolvimento da criança.

Durante a gestação é possível sim a transmissão de algumas DST´s. Para se ter uma ideia, o vírus HIV e o treponema (agente da sífilis), por exemplo, podem infectar o feto ainda no interior do útero, em razão da sua capacidade de atravessar a placenta. A transmissão da gonorréia e do herpes pode ser no momento do nascimento, pelo canal de parto. Por este motivo é que durante o pré-natal os obstetras solicitam exames específicos desde o início da gravidez.

"O anti-HIV, para detectar da AIDS, é importante porque existem medicamentos que se utilizados no momento certo reduzem bastante o risco de transmissão do vírus para o bebê", afirma o obstetra. Se detectadas na gravidez, doenças como gonorréia, sífilis, tricomoníase, clamídia, assim como as vaginoses bacterianas, tem a possibilidade de serem tratadas e curadas com antibióticos.


Segundo o Ministério da Saúde, algumas cidades já utilizam o pré-natal masculino por iniciativa própria, entre elas, Ribeirão Preto (Universidade de São Paulo), Campinas, Várzea Paulista e Rio de Janeiro, essas na própria rede do município. Já em São José do Rio Preto (SP), o programa está previsto em lei municipal.

Por Juliana Lopes

Comente