Parto em casa

Parto domiciliar  muito cuidado

A top Gisele Bundchen optou pelo parto domiciliar e está em plena saúde. Entretanto também é preciso citar casos em que o parto foi tão saudável assim. Um deles é de Caroline Lovell, fotógrafa de 36 anos, moradora de Melbourne, na Austrália, casada e mãe de uma menina de três anos. Ao realizar seu parto no conforto do seu lar sofreu com grande hemorragia e veio a falecer.

Segundo os médicos Antonio Braga, professor PhD de Obstetrícia da Universidade Federal Fluminense, Vera Fonseca, presidente da SGORJ e diretora-executiva da FEBRASGO, e Márcia Rosa de Araújo, presidente do CREMERJ, a morte trágica de Caroline durante complicações de seu parto domiciliar reacende as discussões sobre segurança do parto em casa.

A fotógrafa faleceu logo após o nascimento de sua filha, Zahra, em 23 de janeiro de 2012, mas o jornal inglês Daily Mail divulgou a notícia em 1º de fevereiro. Caroline era defensora do parto domiciliar, chegou a pleitear junto ao governo australiano o reconhecimento profissional e remuneração oficial às parteiras.

As autoridades australianas ainda investigam o caso, mas o fato é que, logo após o parto, ela evoluiu com parada cardíaca e foi levada ao hospital pelos socorristas, e lá foi atestada sua morte no dia seguinte à internação.

Os médicos lembram que nos últimos cinquenta anos, "no mundo em geral, e no Brasil em particular, a incidência de parto não hospitalar reduziu-se vertiginosamente e hoje representa menos de 1% dos nascimentos. Todavia, influências recentes, midiáticas e hollywoodianas, têm apresentado a (falsa) percepção à sociedade da segurança do parto não hospitalar".

Segundo os médicos, o parto pode oferecer riscos e surpresas. Os obstetras lembram que durante o acompanhamento de uma grávida em trabalho de parto de baixo risco, muitas situações clínicas podem complicar o momento do parto, entre elas, sangramento, elevação da pressão arterial materna, sofrimento fetal agudo e prolapso do cordão umbilical. Tais situações precisam de atendimento médico imediato e local para tratamento adequado da mãe e do bebê. "Ainda assim, e a despeito das dificuldades pelas quais nossas maternidades passam, elas são mais adequadas para garantir a segurança da grávida".


Por Catharina Apolinário

Comente