O bebê quer sair antes da hora, e agora?

parto prematuro

Michelle e os trigêmeos - foto: Michelle Bouvier/Google+

Cerca de 10% das gestações terminam com parto prematuro. Os números aumentam mais quando a gravidez é de gêmeos, trigêmeos, quadrigêmeos e mais gêmeos. Nessa hora você sabe quais os procedimentos a serem tomados quando o bebê não consegue mais ficar na barriga da mãe, mas necessita dessa permanência?

Michelle Bouvier, atriz da minissérie global "Maysa", passou por isso recentemente em sua gravidez de três herdeiros que estavam para nascer juntinhos. "Desde o início eu já sabia da possibilidade de ter um parto prematuro. Mas você sempre acha que vai superar e conseguir chegar até a reta final", confessa ela que, no início, acreditava estar grávida apenas de duas crianças.

"Quando fiz uma ultrassonografia mais avançada, descobri o terceiro bebê! Com 27 semanas comecei a sentir uma dor estranha. Estava sozinha em casa, sem motorista, mas consegui falar com meu sogro e fui até a maternidade. Por sorte meu médico estava na clínica e fizemos o ultrassom. A princesa Sophia estava encaixadinha, querendo nascer. Fui internada na hora e por lá fiquei durante 50 dias até o nascimento dos meus três filhos", explica a atriz.

Nesse período de internação, Michelle e os médicos tentavam ao máximo conseguir que os pequenos continuassem na barriga da mamãe de primeira viagem e foi uma luta. "Hoje, meus filhos estão maravilhosos, são crianças iluminadas, fortes e alegres. Quando fizeram 6 meses, fiquei numa alegria só!", conta a mãe coruja.

Mas não e só com ela que a coisa pode ficar complicada. O ginecologista Alberto Jorge Guimarães (http://www.partosemmedo.com.br/) conta que quando mais de um bebê está a caminho, fica difícil manter todo mundo no lugar: "Nas gestações gemelares e trigemelares é comum que a prematuridade (quando o nascimento acontece antes de completar 37 semanas) apareça. A culpa é da distensão que os bebês provocam no útero e seu peso na região do colo uterino".

Quando é possível adiar o parto?

parto prematuro

foto reprodução: Michelle Bouvier/Google+

Se você é mamãe e sente pelo menos duas contrações com sensação dolorosa em um intervalo de 10 minutos, está na hora de correr para o médico. Como no caso da atriz destaque de "Maysa", talvez seja possível adiar um pouquinho a chegada dos pimpolhos ao mundo.

Os médicos podem utilizar medicamentos, entre eles, magnésio, sulfato de terbutalina, nifedipina, salbutamol e indometacina, para retardar o parto. Com isso, a criança pode se desenvolver por mais tempo dentro do ventre da mãe, onde tem tudo o que necessita. Alguns esteróides também podem ser usados para ajudar a desenvolver o pulmão do bebê antes e depois do nascimento.

Apesar de ser uma das principais causas de complicações e mortalidade neonatais, estima-se que cerca de 30% a 50% das mulheres que desenvolvem trabalho de parto prematuro terão seus bebês na hora correta, assim como a mamãe de Raphael, Sophia e Matheus. "Modéstia à parte, me sinto uma supermãe, literalmente. Quando olho para trás, vejo que tudo valeu a pena", se orgulha (com razão!) Bouvier.

Como evitar?


Por Juliany Bernardo (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: parto prematuro parto prematuro parto gêmeos