Mitos da gravidez

Mitos da gravidez

Quem é marinheira de primeira viagem escuta várias teorias em torno da gravidez e até fica em dúvida do que realmente é fato durante a gestação. Se no início é comum ouvir que barriga pontuda significa menino e redonda menina, basta chegar os últimos dias para as futuras mamães escutarem o velho ditado: quando mudar a lua o bebê vai nascer.

O obstetra Mery Lubna desvenda alguns mitos comuns nessa fase da mulher:

1 - Grávidas sentem mais calor.

VERDADE - As gestantes sentem mais calor por conta do aumento do metabolismo. Com a chegada dos dias quentes de verão, a grávida também transpira mais, facilitando a perda líquidos e sais minerais.

2 - Comer chocolate durante a gestação provoca cólicas no feto.

MITO - O consumo de grandes quantidades de chocolate provoca cólicas em recém nascidos e não no feto. Portanto, as mulheres grávidas podem comer chocolate, desde que com moderação, devido ao grande valor calórico deste alimento.

3 - As grávidas precisam comer por dois.

MITO - A alimentação da mulher durante a gravidez tem inúmeras finalidades, entre elas manter a gestante saudável, contribuir para a formação adequada do feto e armazenar nutrientes para a fase da amamentação. Sendo assim, a alimentação da gestante deverá ter mais qualidade do que quantidade: um pequeno aumento calórico e uma boa modificação nos nutrientes garantirão o equilíbrio nutricional ideal.

4 - Ficar sem comer aumenta o enjoo.

VERDADE - As gestantes não devem ficar longos períodos sem comer, pois a liberação de ácidos no estômago vazio provoca o aumento dos enjoos. Além disso, o jejum aumenta os riscos de hipoglicemia, que pode ser prejudicial ao bebê, e as chances de um distúrbio do metabolismo.

5 - A prática sexual pode prejudicar o bebê.

MITO - Após as primeiras consultas, o obstetra terá condições de liberar, ou não, a gestante para a prática de relações sexuais. De acordo com estudos, durante o ato sexual ocorre o aumento do fluxo sanguíneo na região da bacia e isso aumenta a oxigenação fetal. Já no momento do orgasmo, ocorre uma liberação de endorfinas que ultrapassam a barreira placentária, promovendo uma sensação de bem-estar no feto.

6 - A gestante não deve praticar exercícios físicos.

MITO - Após a realização de uma avaliação médica completa e desde que a grávida esteja livre de fatores de risco, a atividade física é aconselhável durante a gestação. Os exercícios mais indicados são os de baixo impacto como caminhadas, yoga, natação e hidroginástica.

7- Barriga rendonda indica menina e pontuda menino

MITO - A forma da barriga não tem nenhuma relação com o sexo da criança, assim como o sexo do bebê não afeta em nada a forma do útero materno. O formato da barriga segue a conformação física da mãe, e depende de fatores como a musculatura abdominal, além da posição em que o bebê se encontra.


8- Mudou a lua; agora o bebê vai nascer

MITO - Um dos mais famosos, ele está relacionado com a criação do calendário, quando muitas sociedades se orientavam pelas mudanças da lua. Em vez de dizer que são 40 semanas de gestação, o homem dizia que eram 40 luas. Quando a mulher estava próximo das 40 semanas de gestação, por volta da 36ª semana, alguém dizia: ‘cuidado, amanhã tem mudança de lua e o bebê poderá nascer’. Portanto, em nada a lua influencia o parto.

Por Juliana Lopes

Comente