Grávida fitness – barriga “definida” na gestação é saudável?

Médico lista perigos e cuidados específicos da atividade física durante a gestação
grávidas fitness

fotos reprodução: Sarah Stage/Instagram

Depois que a modelo americana Sarah Stage publicou fotos suas grávida de 8 meses (agora já nove) no Instagram, choveram comentários criticando a moça pela preocupação exagerada com a boa forma e pelo abdômen ‘sarado’. “Ela está com a barriga muito pequena” ou “ela precisa alimentar o bebê em vez de se preocupar com sua aparência” foram alguns dos comentários que ela recebeu na rede social.

Mas será mesmo que o que ela está fazendo é contra a saúde do bebê? A modelo se defendeu das críticas e disse que atualmente malha com o auxílio de um profissional, pensando exclusivamente na vida saudável dela e do bebê.


O ginecologista e obstetra Maurício Luiz Peixoto Sobral explica que é possível sim, manter a rotina fitness mesmo grávida, contanto que haja mais moderação. “A prática de atividade física é fundamental, desde que indicada pelo obstetra e acompanhada por um profissional de educação física. E é importante ressaltar que as mulheres que malham muito antes de engravidarem devem adequar seus treinos com cada trimestre da gestação”, orienta. 

Segundo o especialista, a atividade física pode beneficiar o desenvolvimento fetal, com exercícios moderados desde o início da gravidez, porque melhoram a capacidade funcional da placenta, consequentemente ocorre o maior crescimento fetal. “Faz bem para o sistema nervoso central porque melhora a oxigenação do sistema nervoso do bebê, aumenta o número de células cerebrais e melhora a aprendizagem e a memória”, acrescenta.

O American College of Obstetricians and Gynecologists, conselho americano de ginecologistas e obstetras, reconhece que a prática de atividades físicas regulares na gravidez deve ser estimulada, desde que a gestante apresente condições. "Por isso, é fundamental que as contra-indicações que impeçam a realização de exercícios físicos sejam conhecidas tanto pela mãe como pelo profissional de educação física que acompanhará a gestante durante essa fase", alerta o médico.

Barriga pequena

Sobre o abdômen da grávida, Sobral esclarece que é possível mantê-lo compatível com a gravidez e não ficar obesa e nem com flacidez, mas ficar com “tanquinho” vai contra a natureza da gestação e pode prejudicar o desenvolvimento do bebê, ou seja, não tem respaldo médico.

"Pelas imagens, a modelo está com a barriga pequena para a idade gestacional, o normal no final da gravidez é que a grávida tenha a altura uterina (tamanho da barriga) em média de 34cm. Se tiver abaixo de 30cm indica que o bebê cresceu pouco ou pode estar com líquido reduzido. Um treino em grande intensidade, por exemplo, pode influenciar no crescimento do bebê", aponta.

Principais complicações na gravidez

Uma atividade física feita em excesso é prejudicial, pois irá comprometer a nutrição do bebê e pode trazer outras complicações na gestação, tais como sangramento uterino de qualquer causa, a placenta baixa, o trabalho de parto pré-termo, o retardo de crescimento intra-uterino, sinais de insuficiência placentária e a ruptura prematura das membranas.

Orientações de exercícios para gestantes

A seguir, Sobral dá algumas orientações para a prática de atividade física. Lembrando  que, antes de iniciar qualquer atividade física durante a gestação, é preciso procurar o seu obstetra particular para liberar os exercícios.

1. Movimentos aeróbicos e alongamentos são aconselhados, desde que haja acompanhamento de um professor de educação física e não haja restrição médica;

2. Sobre abdominais há divergências entre os médicos. Alguns defendem no início da gravidez, outros aconselham que seja evitados durante toda a gestação. Nesse caso é melhor consultar seu médico;

3. Caminhadas de duas a três vezes por semana também estão liberadas, mas defina o tempo com a ajuda do profissional de educação física;

4. Evite exercícios de intensidade alta, pois o fluxo sanguíneo no organismo diminui, reduzindo assim a passagem de nutrientes e oxigênio para o bebê;

5. Evite também exercícios que mantêm você por muito tempo em pé, pois isso pode dificultar a circulação sanguínea e causar queda de pressão e mal-estar;

6. O uso dos “steps” também deve ser evitado, porque as articulações ficam “mais frouxas” durante a gravidez, por isso há mais riscos de sofrer torções;

7. Cada trimestre requer cuidados diferentes. Enquanto no primeiro trimestre você pode caminhar, por uns 30 minutos sem parar, por exemplo, esse tempo pode ser reduzido, no próximo trimestre. Depende de caso para caso. Fique atenta!

Por Jessica Moraes

Comente

Assuntos relacionados: gestação atividade física