Fumo passivo traz riscos ao feto

Fumo passivo traz riscos ao feto

Os males do cigarro estão mais do que comprovados pela ciência. Porém, ele não prejudica somente o fumante. O fumo passivo também causa males à saúde. Entre as pessoas mais sujeitas aos riscos estão as gestantes.

O Dr. Jefferson Fontinele e Silva, pneumologista do Hospital Santa Lúcia, define o termo fumante passivo: "É a inalação de fumaça de derivados do tabaco por indivíduos não fumantes em contato com fumantes, em ambientes fechados". Segundo o pneumologista, não há uma quantidade mínima estipulada de fumaça para provocar riscos. "O que é necessário acontecer para haver perigo ao feto é um contato repetido da gestante com a fumaça do cigarro", explica.

Recentemente foi publicado na revista científica "Pediatrics", dos Estados Unidos, uma matéria que revisou 19 estudos sobre os males que o fumo passivo de gestantes causa ao feto. O resultado é surpreendente. Mulheres, não fumantes, expostas à fumaça de cigarro têm 23% mais chances de dar à luz um bebê já sem vida. A probabilidade de má formação é menor, foi estipulado em 13%.

Se a exposição for excessiva os primeiros males não demoram a aparecer. "Após um mínimo contato com a fumaça, a criança no ventre materno já responde com aumento de sua frequência cardíaca", garante o Dr. Jefferson. O pneumologista explica que as consequências do tabagismo, ativo ou passivo, sobre a gravidez são variáveis. "Desde trabalho de parto prematuro, com baixo peso até abortamento e perda fetal, passando por risco aumentado de doença na placenta", lista o especialista.

A comunidade médica acredita que o desenvolvimento fetal ocorre principalmente nos três primeiros meses da gestação. "Acredita- se que esta seja a fase mais delicada na gravidez de uma gestante em contato com fumaça derivada do tabaco", afirma o pneumologista. É muito importante a conscientização do fumante. Alerte-o sobre os riscos que o cigarro traz e, caso haja a resistência em procurar ajuda para deixar o vício, exija que ele deixe de fumar em locais fechados e na presença de crianças e gestantes.

O médico cita algumas das principais patologias provocadas pelo fumo: "As doenças crônicas mais frequentemente relacionadas ao tabagismo são as respiratórias, o infarto do miocárdio e os cânceres, em especial do pulmão".


Para finalizar, a gestante deve entender que atitudes saudáveis são muito importantes para uma gravidez saudável. "Além do afastamento da fumaça do cigarro, outras medidas são também importantes, a saber: dieta equilibrada, atividade física e repouso são medidas fundamentais para o desfecho favorável na gravidez", recomenda o pneumologista.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: filhos riscos gravidez