Exercícios pós-parto são necessários, mas exigem moderação

Exercícios pósparto são necessários mas exigem mod

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Passada a ansiedade do parto e com a rotina em casa com o bebê organizada, a mulher começa a sentir necessidade de ter novamente o corpo de antes da gravidez. Eis que surge a dúvida: a partir de quanto tempo já pode começar a se exercitar? Normalmente, o indicado é voltar às atividades físicas depois de 60 dias, no caso de parto normal, e 90 dias, se foi cesárea.

Porém, tudo deve ser feito com moderação e após a liberação do médico. Fique atenta aos seus limites, para não acabar lesionada. Comece com exercícios aeróbicos, como caminhada, esteira e bicicleta ergométrica, durante 30 minutos, pelo menos três vezes por semana, para voltar a ter condicionamento físico.

A mulher não estará preparada para fazer exercícios pesados nas primeiras semanas após o parto. Mas seu corpo sentirá necessidade de algum tipo de atividade (nem que seja um simples alongamento ainda na cama) para fortalecer os músculos e aliviar a tensão. A menos que seu médico recomende o contrário, uma série de exercícios leves e de baixo impacto será seguro para você e o corpo agradecerá no futuro.

Se o médico recomendar que você não se exercite durante seis semanas ou mais após o parto, mostre a ele a lista de exercícios que deseja fazer. Não diga apenas que quer "se exercitar", seja específica. Se forem exercícios leves e seguros, seu médico provavelmente vai aprová-los. Entretanto, se, mesmo assim, ele achar que são inadequados para você, obedeça suas recomendações.

Lembre-se: ao fazer qualquer exercício, sempre expire lentamente quando estiver levantando ou contraindo partes do corpo, e aspire lentamente quando estiver abaixando ou soltando-as.

Os músculos do abdomêm e assoalho pélvico precisam de atenção especial, bem como os músculos das costas. Podem ser realizados pelo menos duas vezes na semana. Para que tenha efeito, o exercício deve ser realizado por pelo menos 30 minutos com uma intensidade de 60% a 70% da frequência cardíaca máxima, ou seja, é necessário que a frequência cardíaca se eleve um pouco, mas que a mãe consiga conversar enquanto caminha.


Existe o mito de que os exercícios pós-parto podem prejudicar a lactação, o que é desmentido pela literatura científica, que aponta que os exercícios não prejudicam a composição e a quantidade de leite, desde que haja nutrição adequada que supra os gastos energéticos da amamentação e do exercício.

Outro detalhe importante: a participação de mulheres no pós-parto em programas de exercícios reduz problemas de ordem psicológica como depressão e ansiedade, muito frequentes nesta fase.

Por Carmem Sanches

Comente