Exercícios físicos ajudam a melhorar dores durante a gravidez

Gravidez  dor nas costas

Sentir dor é desconfortável e incomoda a vida de qualquer um. Quando se está grávida, esse desconforto é bem maior e as dores devem ser tratadas com ainda mais cuidado e atenção. Pelas diversas mudanças no corpo, as mulheres, quando engravidam passam a sentir dores que antes não sentiam, como por exemplo nas pernas e nas costas, devido ao aumento de peso.

"A maior parte desses incômodos pode ser diretamente explicada pelo efeito relaxante e suavizante dos hormônios da gravidez (progesterona e relaxina), seguido por um aumento de peso, retenção líquida e mudanças posturais, com a resultante alteração nos padrões de movimentos. O útero crescente pode dar margens a fortes dores, principalmente do quarto ao sétimo mês de gestação", explica a fisioterapeuta Deborah Supino, colaboradora do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo.

Segundo ela, cada atividade da futura mamãe deve ter um cuidado todo especial. Elas devem utilizar travesseiros confortáveis quando forem se deitar e colocar um deles entre as pernas, caso deite de lado. E ao ficar em pé ou caminhar, a coluna deve estar sempre ereta, para evitar as dores.

As dores, apesar de serem bem chatas, não afetam diretamente o bebê, pois ele está bem protegido na bolsa, com o líquido amniótico. Mas a escolha dos remédios utilizados para o tratamento requer atenção. "A necessidade do uso de algum medicamento para aliviar as dores pode afetar o desenvolvimento do feto", alerta Deborah.

Ao contrário do que muitas mulheres pensam, a prática de exercício físico durante a gravidez não aumenta a intensidade da dor - e sim colabora para a diminuição do desconforto e aumenta a saúde da futura mãe.

"É incontestável o fato de que mulheres que praticam atividade física durante a gravidez (com autorização médica) conseguem evitar ou diminuir dores preexistentes e, também, se recuperam mais rapidamente depois do nascimento, do que as que passaram uma gravidez menos ativa", diz a fisioterapeuta.

Mas o tipo de exercício escolhido não deve ser o mesmo de quando ela não estava grávida. Atividades que exijam grande contato físico e competição devem ser evitadas. Uma opção saudável é a caminhada e também a ioga, que são leves e ajudam a relaxar.


"A mulher deve reconhecer em seu próprio corpo a sensação de conforto e bem-estar ou de esforço e fadiga. As atividades devem ser interrompidas antes, e não depois, que causem dor. Com os exercícios para manutenção da postura, exercícios de prevenção à dor e exercícios de alivio a dores pré-existentes você conseguirá manter uma boa auto-estima e também desfrutar desses nove meses tão mágicos e tão únicos na vida de uma mulher e nova mãe", finaliza.

Por Juliana Guastella (MBPress)

Comente